Analista de Inteligência: uma profissão que requer aprofundamento

A profissão de analista de Inteligência Competitiva (IC) é relativamente nova no Brasil, motivada, fundamentalmente, pelo aumento exponencial da competição gerada pela economia globalizada atual. Os profissionais ligados a tal atividade, em geral, têm formação em marketing e planejamento estratégico.

Monitorar o mercado, os clientes e as áreas tecnológicas, apurar, analisar e interpretar informações sobre o ambiente de negócios para ajudar nos processos de tomada de decisões são as principais funções de um analista de Inteligência. No ambiente competitivo dos dias atuais, a necessidade de investir em um profissional da área fica cada vez mais latente.

Com já abordado anteriormente, o perfil do analista de inteligência competitiva e suas responsabilidades podem se dividir em cinco fases: iniciante, conhecedor, experiente e referência (veja mais sobre cada uma delas aqui).

Mas, feita esta introdução, você sabe quais são os pontos que fazem um analista de Inteligência ser excelente em suas atividades? Se você é responsável pelas estratégias da sua empresa, separamos alguns pontos que podem ser levados em consideração em termos de absorção de novas ideias para que você se torne o analista ideal.

Aprofunde-se nos resultados

Um ótimo analista vai além de simples respostas. Diante de um dado, ele não se interessa apenas em saber o seu significado, mas quer descobrir porque aquilo é daquele jeito, fazendo perguntas capazes de conduzir possíveis insights e dirigir estratégias.

Pense em um cenário mais amplo

Bons analistas podem detectar detalhes minuciosos e padrões sutis, mas analistas de primeira linha são capazes de integrar estes aspectos a um grande cenário. Os ótimos analistas emergem-se nos dados, mas não se perdem neles, pois buscam uma estratégia mais ampla e sabem no que focar e o que deixar de lado.

Unifique os dados

Um ótimo analista deve saber sintetizar informações. Neste contexto, a sintetização consiste na habilidade de combinar dados, padrões e temas de forma coerente. Bons analistas podem descontruir dados minuciosamente, porém, um sintetizador é capaz criar um padrão unificado para esses dados.

Exponha as suas falhas

Enquanto um bom analista tenta proteger-se dos erros, um ótimo analista está sempre pronto para questionar as suas conclusões. Ele procura “advogados do diabo” justamente para tentar acabar com qualquer crença pré-estabelecida. Nenhum processo é perfeito e, por isso, não se pode tentar esconder as falhas. Em vez disso, é preciso expô-las em busca de soluções.

Seja convincente

Um ótimo analista sabe como fazer a sua descoberta atingir um público amplo. Ele pode ajudar qualquer setor de uma organização a entender por que tais dados são significativos. Ele não é apenas um analista de dados, ele tem habilidade para fazer as pessoas acreditarem nos resultados. Insights só são significativos quando inspiram ações, então, em última análise, os ótimos analistas são responsáveis pelas estratégias da empresa.


Originally published at www.plugar.com.br on April 8, 2016.