MANIFESTO

A natureza é sábia. Desde o início dos tempos, é dela que extraímos toda a nossa alimentação, mas, de alguma forma, nos esquecemos disto. Desde a apropriação da comida como entretenimento, até a profusão dos alimentos industrializados, superprocessados, e até mesmo no resgate que hoje se vê de uma alimentação (dita) saudável, o que vemos é o Capitalismo empurrando goela abaixo (literalmente) produtos comerciais como o fast-food, comidas cheias de conservantes, shakes milagrosos para emagrecimento, suplementos com promessa de um futuro saudável, entre outros tantos absurdos que vemos nas gôndolas dos supermercados. Tudo isto com a justificativa de que hoje a vida é muito corrida, e que não podemos mais preparar as nossas próprias refeições.

Mas, cada vez mais, se torna urgente rompermos com esta lógica perversa que fizeram da alimentação. Precisamos parar de consumir os hamburgueres cheios de gordura das grandes redes de fast-food e fazê-los em casa. Precisamos esquecer dietas milagrosas quando, tudo o que é necessário para uma vida mais saudável pode ser facilmente comprado e preparado em pouco tempo. Precisamos perder a vergonha e ter uma relação afetuosa com cheiros, temperos e sabores naturais, e nos livrarmos daqueles que estejam contidos em cubinhos artificiais, cheios de produtos químicos.

E, também, é hora de nos divorciarmos da ideia de que se alimentar bem é caro. Um prato nutritivo, feito em casa, garantimos, é muito mais barato que o mesmo prato em um self-service. Levar uma marmita com sua comida feita em casa para o seu local de trabalho, estudo, etc., não é demérito: é uma opção por uma vida mais saudável. Sabemos que há hoje um hype, instalado pelo Capitalismo, que prega uma vida saudável — oferecendo produtos caros que se tornam inacessíveis a grande parcela da população. Porém, defendemos que a saúde também envolve o bolso: ninguém é 100% saudável quando se endivida para comer.

E é isto que a PLURAL vem defender. Acreditamos que uma alimentação saudável é um dos direitos mais fundamentais da humanidade, mas que, pela cobiça de uns, não está sendo acessado por milhares de pessoas. Neste espaço (e em vários outros, físicos ou virtuais), promoveremos uma análise crítica da alimentação contemporânea — com participação de nutricionistas, entusiastas, pequenos empreendedores que, com seus textos, receitas, recibos de supermercado e, acima de tudo, vivências, comprovarão que, mesmo com todo o bombardeio de publicidades e (des)informações, ainda é possível acreditar em uma alimentação saudável. Para todos.