Sobre puffs, happy hours e outras miragens que atraem as pessoas erradas às startups

Imagem típica retratando a vida de uma startup: dress code casual, video game, equipamentos legais. O que a foto não mostra é o nível de cobrança sobre essas pessoas, o esforço delas no trabalho e os resultados que as mantém neste ambiente.

Comecei a me envolver com recrutamento e seleção há quase dois anos na Resultados Digitais. Algo tristemente comum nos nossos processos seletivos, assim como em outros processos das chamadas “startups”, é o candidato ter a motivação de entrar na empresa pelo “ambiente cool”. Este artigo, por exemplo, é um desserviço ao alinhamento de expectativas sobre o que é trabalhar em uma startup.

Quando falo de “ambiente cool”, falo justamente do conjunto comidinhas + videogame + pantufa + cervejinha das 17h + puffs coloridos e relacionados.

O que é uma startup em linhas gerais e generalistas: Uma empresa (EMPRESAAA) que cresce muito rápido (tipo, dobra de tamanho ao ano), tem um fator de risco ligado a inovação que traz ao mercado e normalmente é conectada ao ambiente de tecnologia. A parte do “crescer rápido” é especialmente importante para que as pessoas entendam o abismo que existe entre o que uma startup entrega como empregador e o que esta listinha lamentável do startupi.com.br descreve.

Ora, imagine uma startup que dobre de tamanho ao ano. É fácil dobrar de tamanho todo ano? Não. É difícil. Muito difícil. Dói nas suas vísceras. O empreendedor e seu time suam, os dedos sangram, as pessoas voltam pra casa cansadas e sonham com o trabalho enquanto tentam descansar, elas pensam no trabalho no fim de semana. É assim que se cresce 20x mais do que a média nacional: Fazendo o que ninguém está disposto a fazer.

O gestor que abriu a vaga de emprego está vivendo este cenário com nível de desafio sobre-humano. Para ele, o candidato que quer pantufa e cervejinha não serve; esse gestor precisa de um soldado.

Se não for pelo videogame, então porque trabalhar em uma startup? Pela oportunidade de crescer mais do que todo mundo no mercado. Pela quantidade enorme de oportunidades sequenciais que se abrirão diante de você, lhe permitindo escolher seu próximo passo. Por construir algo tão grande que, na sua próxima entrevista de emprego, você não falará de responsabilidades, mas sim do que você e seu time construíram. Pela satisfação de se olhar há um ou dois anos atrás e não se reconhecer mais, tamanho o desenvolvimento profissional que você mesmo conquistou. Para ser o melhor profissional que você pode ser.

A parte boa de uma startup não são os puffs coloridos ou o trabalhar de bermuda, mas sim o fruto de um trabalho árduo. Não se dobra de tamanho usando pantufa e acariciando cachorrinhos fofos.

Quando for se candidatar para uma vaga em startup, esteja com a motivação correta: Trabalhar duro para crescer como profissional e construir algo grande e relevante. Se quiser pão de queijo e bolo, recomendo uma padaria.