Pokémon GO Plus: como funciona? Será que ele é indicado a você?

Esta semana foi lançado o acessório que estava faltando ao mundialmente popular aplicativo Pokémon GO. Chamado Pokémon GO Plus — ou Pokémon Plus, para os íntimos — o aparelhinho, que mais lembra uma pokebola cruzada com um pino do Google Maps, já está sendo vendido em várias partes do mundo pelo preço de $35 (aproximadamente, R$ 115, sem impostos).

Prometendo tornar a vida dos treinadores mais fácil, ele pode ser preso às alças das bolsas e cintos com a ajuda de um clipe, utilizado com a simpática pulseira que acompanha o produto ou solto mesmo, sendo possível colocá-lo facilmente no bolso. Mas afinal, como funciona o Pokémon GO Plus? Vale a pena o investimento?

O principal motivo da venda do aparelho é evitar que o treinador tenha que ficar o tempo todo com o celular na mão ou ter que tirá-lo constantemente do bolso a cada vibração, sinalizando que há um Pokémon nas proximidades.

Ele não possui tela e a única forma de interação com o usuário se dá por um botão central que pisca e muda de cor de acordo com um acontecimento específico.

Funcionamento

O pareamento com o celular é simples e se dá por meio de uma conexão bluetooth.

A partir daí, é só sair usando, mas ainda é preciso entender os sinais coloridos emitidos pelo aparelho e o que significam.

Quando você encontra um Pokémon, o Pokémon Plus vibra e emite uma luz verde. Pressionando o botão, você joga uma pokebola, e então o aparelhinho irá piscar uma luz branca e vibrar para cada vez que a pokebola "mexer". Se após essa fase, o botão piscar luzes multicoloridas, significa que você capturou o Pokémon; caso ele exiba uma luz vermelha, significa que o Pokémon escapou da pokebola.

Andando pelas ruas, o Pokémon Plus poderá vibrar e emitir uma luz azul indicando que há uma pokestop próxima. Pressione o botão e luzes multicoloridas aparecem, seguidas de uma notificação em seu smartphone indicando quantos itens você coletou.

Importante ressaltar que qualquer atividade é devidamente registrada por meio de notificações que aparecerão em seu smartphone, o que é uma excelente forma de ter controle sobre tudo.

Ele muda o jogo? Vamos com calma…

Agora que você já sabe como funciona, fica a pergunta: comprar ou não? Serei bem franco a respeito disso, falando a nível da realidade brasileira. Caso vocês não saibam, a Nintendo encerrou as atividades em nosso país desde o ano passado, ou seja, dificilmente encontraremos o Pokémon GO Plus sendo vendido no varejo comum, exceto por importação. Não que isso seja ruim, mas a inexistência de um parâmetro de preço abre margem para que se cobre valores absurdos.

Fora isso, você deve considerar outros fatores que pouco se fala. O sistema de captura de Pokémon não é essas maravilhas. Ao apertar o botão você joga apenas uma pokebola e se o Pokémon não for capturado imediatamente, ele simplesmente foge. Não há como tentar capturá-lo uma segunda vez, o que é péssimo, pois é comum que até Pokémon fracos venham a fugir.

Outro "problema" é que, diferentemente do que foi anunciado no ano passado, o aparelho não é um pedômetro. Isso significa que você ainda está a mercê do GPS para medir a distância caminhada para chocar ovos ou ganhar candies com um buddy, e quem joga sabe que esse sistema está longe de ser perfeito. Um pedômetro aliado ao GPS seria o ideal.

O terceiro ponto a ser considerado já foi mencionado ao início deste artigo: o preço. Pagar mais de R$ 100 por um acessório de um jogo relativamente casual é um tanto salgado pra muita gente.

Considerações finais

Mesmo assim, ainda vale a pena comprar? Depende. Se você se considera um jogador casual e/ou está nessa onda de Pokémon só porque todo mundo está jogando, então, claramente, meu conselho é que você nem perca o seu tempo considerando a compra do aparelhinho.

Do contrário, caso você realmente tenha embarcado na ideia do jogo e queira evoluir seus Pokémon, ajudar seu time, batalhar em ginásios e crê que as atualizações futuras tornarão o jogo ainda mais interessante, então pode ser que o Pokémon GO Plus lhe tenha alguma serventia, mas saiba que ele apenas será um elemento de uso casual para uma interação relativamente diferente, sem adicionar muita novidade ao seu cotidiano de treinador — a menos, claro, que venha uma atualização e melhore a interação e a experiência com o jogo.

por Luciano Hilton / imagens: IGN

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.