Um vídeo de Parkour no seu WhatsApp

Nesta semana viralizou um Gif no WhatsApp e isso não é nada fora do normal, né? Porém, o fora do normal eram as habilidades do indivíduo do vídeo. Um praticante de parkour descendo 4 andares de um prédio pelo lado de fora, correndo e saltando precisamente em um corrimão e ainda dando pirueta da melhor forma. Se você não viu, ele está aqui! É fantástico.

A melhor parte foram todos os meus amigos maravilhados me enviando. Recebi dezenas. Adorei. Afinal, sempre fico muito feliz quando associam e lembram o parkour a mim. O gif estava sempre acompanhado de piadas divertidíssimas, mas o contexto era sempre o mesmo.

A urgência e a velocidade em fugir ou se distanciar de algo.

Você sabia que essa é uma das principais características do parkour? Estar preparado fisicamente e psicologicamente para enfrentar qualquer situação onde seu corpo seja exigido em um máximo.

No vídeo está o atleta britânico Joseph Henderson (20 anos). Falei com ele da viralização e olha o recado muito maneiro que ele nos mandou.


Oi Poliana,
Obrigada pelo contato.
Eu comecei a treinar quando eu tinha 10 anos, então eu já treino há uns 10 anos. Antes de treinar parkour, eu estava treinando artes marciais (ninjitsu), correndo, subindo árvores, etc., assim como qualquer outro menino. Tirando isso, não teve nenhum outro esporte que eu tenha levado a sério.
No começo, eu me inspirei, principalmente, nas aplicações práticas do parkour. Eu sempre treinei artes marciais por razões práticas (para que eu pudesse lutar) e a ideia de treinar parkour me atraiu da mesma forma (para que eu pudesse me mover eficientemente). Na verdade, comecei a treinar o que você chamaria de parkour antes de descobrir que outras pessoas estavam treinando e que tinha um nome.
Eu simplesmente pensei nisso como parte do meu treinamento em artes marciais para aprender a navegar com confiança e rapidez pelo meu ambiente.
Com o tempo, meu amor pelo esporte tomou conta, e embora eu ainda esteja muito interessado na aplicação prática das habilidades que ganhei no parkour, a maior parte do que eu treino é simplesmente baseada em torno do que eu acho divertido treinar.
Sempre me inspirei muito mais nos meus amigos e nas pessoas que me rodeavam do que em ídolos e celebridades distantes. Quando vejo meus amigos se incentivando e fazendo coisas legais, me faz querer fazer o mesmo.
Lidar com o medo é uma grande parte do parkour para mim. Eu vejo a progressão no parkour mais como uma busca mental do que física. Sua habilidade física quase sempre começa a elevar-se acima da sua percepção mental. Progressão significa alinhar o que você pensa que pode fazer com o que você realmente pode fazer.
Treinar parkour te ensina a lidar com o medo e a manter a compostura em situações de medo. Isso também pode ser aplicado a situações que não se relacionam ao parkour.
Para as pessoas que lutam contra o medo ou que não começam o parkour por causa do medo, eu simplesmente digo para começar devagar. Ganhe confiança nas coisas que são mais confortáveis e divida tudo o que seja amedrontador em etapas para que você possa construir o caminho até o que você quer fazer.”

Assim, entendam que até chegar nesse nível são anos e anos de treinamento e nem todos os praticantes fazem ou precisam fazer isso. É a mesma coisa de você ser um corredor e já achar que vai participar de uma prova com o Usain Bolt ou um curso de autodefesa e já virar o Anderson Silva. Calma, você pode correr e lutar, assim como pode praticar parkour facilmente. TUDO COMEÇA COM O BÁSICO. E é isso que a gente ensina. Temos aulas para todas as idades, gêneros e condicionamentos físicos. Confira a agenda das aulas da Drop and Leap Escola de Parkour em Brasília.

Instagram @dropandleap 
Facebook: Drop and Leap Escola de Parkour

Continuem me marcando em tudo de Parkour por aí! Adoro.

Poliana Sousa 
Instagram @poliizz


Caso queira ler, na íntegra, o recado:

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Poliana Sousa’s story.