Desconfie primeiro, pergunte depois: a crise da informação

I can’t get no

Eu tava pensando sobre 16/8. Ainda. De novo. E ontem minha fisioterapeuta me disse algo bom pra refletir. (Tô quase uma olavete de tão reflexiva.) Coxinha clássica, daquelas de meritocracia e tal, ela disse que foi à manifestação porque queria pegar sol. A gente nunca foi tão politizado! Já falei sobre crise. A gente concordou que tá tendo. Sejamos sinceros. Acho que nem 7% acha que o governo tá bom. Mas daí a querer que ele acabe eu acho que vale um “será”.

Minha fisioterapeuta continua coxinha. Mas ela relativizou demais seu discurso anti-Dilma. Se na primeira manifestação ela espumava contra o governo, o PT, o Lula, agora o lance foi mais de “acho que nem cai”, nem fui lá por isso. Mas ela foi. E, como ela, milhares de pessoas foram. Por que? Qual a pergunta que a gente jornalista não tá fazendo? Vou jogar essa pra vocês, sete leitores!

Satisfaction

Um governo que não agrada ninguém é melhor que governo nenhum? Tem uma parcela da população que realmente quer que Dilma saia. O Aécio, por exemplo, acha que Dilma já brincou demais e é vez dele! (Mesmo que a vez dela de brincar ainda não tenha acabado.) Acontece (só) nas melhores famílias! O difícil é separar (Será que é tão difícil assim?) quem quer impeachment e quem sabe o que ele significa. A gente tá careca de ver a galera falando altas bobagens sobre o tema por aí. E a gente sabe que nossa escola não educa, nossa política não ideologiza e nossa imprensa não informa. Teve muita gente na rua dia 16/8 que nem sabia se queria mesmo que Dilma saísse. (Leitores de Facebook! 👩🔫)

Como a gente não tem fatos para basear NOSSAS opiniões, acho que devíamos ao menos colocar na balança do “quem ganha” cada vez que a gente é obrigado a mastigar opinião mastigada pra saber o que tá acontecendo. Em que nos beneficiaria (país) o fim repentino do governo de Dilma? Em que beneficiaria Aécio um fim repentino do governo de Dilma? A classe média alta, a que vai em peso nas manifestações (Não tô dizendo que é só ela.), ganharia mais com um governo Aécio que com um governo Dilma? (Tendo a acreditar que rico sempre ganha.) Agora, eu, você, a base da pirâmide, ganharia mais com um governo Aécio que com um governo Dilma? (Tendo a acreditar que pobre sempre perde.)

Cause I try, and I try, and I try, and I try

Não cabe a mim responder as perguntas da balança do “quem ganha”. Não para o mundo, pelo menos. Mas eu tento responder pra mim. E eu acho que engrossar manifestação pra tomar sol não é uma boa coisa a se fazer. Mas cada um com seu cada qual, né, não? A gente vive uma situação permanente de ganha X perde (Call capitalismo!). Tá faltando a pergunta fundamental antes de sair por aí vendendo teses alheias. Eu, por princípio, discordo primeiro e pergunto depois. Só pra não perder o hábito.

Tenho amigos de me chamam de boçal e sem cultura. Então hoje eu escrevi com música. #ChupaRayanne! Em tradução livre:

🎶Não acredite no cara do rádio. Ele só diz coisa inútil e quer incendiar suas ideias!🎶

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.