É Inaceitável, que hoje em dia, ainda existam Mulheres Refens de Seus Próprios Medos!

Não é novidade para ninguém que a mulher foi, é e sempre será considerada um sexo frágil para a maioria dos homens, e também para algumas mulheres que não acreditam em si mesmas, e acham que só conseguem crescer na vida ao lado de um homem…pobre de quem pensa assim!

As coisas mudaram muito, principalmente a partir dos quase anos 70, quando as mulheres começaram a, realmente, lutar pelos seus direitos, acho que todos se lembram da Revolução Feminina em 1968 né?, quando as mulheres americanas se reuniram em protesto contra os concursos de beleza da época, alegando que era um abuso comercial contra as mulheres, foi maravilhoso, pois repercutiu no mundo todo.

Hoje em dia as coisas estão muito melhores para nós mulheres do que antigamente, mas ainda sim, muitas se prendem ao passado e não encontraram suas forças para lutar pelo seu espaço.

Conheço muitas mulheres que, ainda hoje, vivem escondidas em suas casas, dependendo de um homem, que por sua vez se sente seu dono, dizendo à ela o que vestir, o que comer e onde ir, e, infelizmente, elas aceitam.

Mulheres que se tornam escravas de seus maridos, tendo que os satisfazer a qualquer custo, até mesmo quando elas não estão tão afim assim, isso é quase um estupro.

Pesquisando na Internet eu comecei a procurar quais eram as frases que eram mais procuradas pelo público feminino, tinham várias, e muitas eram relacionadas a como elas poderiam voltar a ter libido e desejo sexual pelo marido, acreditam?!?!

Uma frase me chamou muito a atenção “como fazer pompoarismo”, e em especial “pompoarismo”, que tinha em torno de 74.000 buscas por mês no Google… eu não acreditei, as mulheres, acredito eu, a maioria, mulheres donas de casa que se veem obrigadas a fazer sexo sem prazer, apenas para satisfazer os desejos do marido, estavam pedindo ajuda, pois, acredito eu, para elas isso é um fardo enorme.

Isso me fez pensar que ainda temos muito no que melhorar, ainda existem muitas mulheres que são “mantidas refém” de homens controladores.

Quando estas mulheres irão tomar coragem, encarar o medo, lutar pelos seus direitos? Eu não sei… mas a única coisa que eu sei é que precisamos urgente nos unir, nós mulheres, para nos apoiar, nos defender, e defender as que estão escondidas e, quem sabe daqui a alguns, ou muitos anos, tenhamos muito menos mulheres prisioneiras.

Um desabafo sincero!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Adriana Abreu’s story.