Assim na carne como na política .


Em março de 2017 a Polícia Federal deflagrou a Operação Carne Fraca, que a principal acusação é um suposto esquema de corrupção entre frigoríficos e fiscais agropecuários para resumidamente: vender carne podre.

Um dos toques usados era o ácido ascórbico, que dava aquela maquiada na carne vencida.

O ácido ascórbico nada mais é que o nome químico da Vitamina C. Olha só que beleza, já não é mais tão feio a notícia certo? Aposto que muita gente não iria ligar de comprar uma carne com um selo assim: “Turbinada com Vitamina C!”.

A JBS (dona das marcas Friboi Seara e Big Frango) e a BRF (dona da Sadia e Perdigão) são uma entre várias empresas que fazem e fizeram doações a campanhas de políticos.

A doação eleitoral é o ácido ascórbico dos políticos.

Enquanto a reforma política do país ficar na mão de políticos como o senhor Lúcio Vieira Lima (Presidente da comissão da reforma política e irmão do Geddel DeixaEuConstruirMeuAp), que proferiu essa perolá aqui:

A política não é diferente de outras atividades que existem. A matéria-prima dessa atividade é o ser humano. Você tem caixa dois, caixa doois, caixa dooois, seja com a entonação que queira dar para caracterizar. Tem caixa dois em que você recebe uma contribuição sem contrapartida

A pergunta que fica é, o quanto de ácido ascórbico, ops, quer dizer de Vitamina C, os candidatos em 2018 precisarão para não levantar mal cheiro?