Li as memórias de um "perdedor"…

Descrição da Imagem: Capa do livro Juca Kfouri — Confesso que perdi, livro de memórias publicado pela Companhia Das Letras

Nunca tinha lido um livro de memórias, biografia ou auto biografia, sei lá a categoria desse tipo de livro, só sei que estava de bobeira na livraria esperando a minha esposa e vi esse livro e na hora pensei: Eu conheço esse velho.


Você gosta de futebol? Você gosta de política? Você gosta de história?, se você respondeu sim para às qualquer uma delas, já vale a pena ler.

O livro é breve, a escrita é fácil, não tem nada de complexo ou sofisticado, é uma conversa gostosa daquelas que você senta apenas para ouvir.

Juca Kfouri me fez lembrar da infância, quando sentava ao lado do pai para assistir ele assistir o Cartão Verde na Tv Cultura, eu era pequeno não entendia quase nada do que se falava ali, só lembro do meu pai balançando a cabeça discordando ou dando risada das brigas entre os apresentadores e comentaristas.

As capas da Revista Placar, uma mais linda que a outra, lembro que meu irmão lia e até guardava uma com muito carinho, a do Romário, nosso ídolo. Romário que me fez amar o futebol, copa de 1994, foi lindo.

Ele foi diretor de redação da Playboy! O Juca! ele é o ser humano responsável pela maior e verdadeira desculpa para se comprar uma Playboy naqueles tempos: Só estou comprando pelas entrevistas! as entrevistas que eram gostosas, as mulheres… boas.

O Juca Kfouri é o nosso Eric Clapton, tocou ao lado de todos os grandes e também fez suas próprias composições aqui e acolá.

Quantas lindas memórias esse livro me trouxe de volta, obrigado pelas suas memórias velho Juca!

Like what you read? Give Bruno PorKaria a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.