dentro

Há escuridão nos encantos da vida
Lástimas, pesares, partidas
Há tantas despedidas
Tanto pulsar desigual
Ai de quem não vê na dor o sinal
De uma beleza desmedida
Ai de quem só tem sentido
O furor do carnaval
Quisera as dores doídas
Daquelas que bem hauridas
Desnudam a alma em caos

Like what you read? Give Petras a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.