Alunos de Jornalismo se reúnem para discutir temas atuais dentro da profissão.

O evento proporcionou troca de conhecimento entre os alunos e profissionais da área sobre importantes temas da atualidade

Júlia Cabral e Gabriel Latorre

“O Jornalismo e a Prática da Democracia” foi o tema abordado por inúmeras perspectivas, atuantes da área discutida e professores conhecedores do assunto, durante a 38° Semana de Jornalismo.

Durante a palestra sobre esportes, Gabriela Moreira, ressaltou a dificuldade que enfrenta por ser mulher e atuar nessa área. “Sou uma jornalista conceituada, trabalho no ramo, e na empresa que estou hoje, a mais de 15 anos e mesmo trabalhando numa grande emissora de televisão ainda sofro assédio quando vou entrevistar algumas pessoas, sofro preconceitos por ser mulher e estar cuidando de uma área ‘masculina’ como exemplo do futebol…”.

Além de Gabriela, a mesa que discutiu “Jornalismo e as estruturas Antidemocráticas do esporte”, era composta por mais três jornalistas da área; Fabíola Andrade, Jamil Chade, Marcelo Gomes.

A aluna Anna Beatriz Vanzetto, do segundo semestre do curso de Jornalismo, pretende seguir pelo caminho da moda e ao ser questionada sobre o evento, disse ser a palestra de tema “moda, comportamento e padroes excludentes” a mais interessante. A palestra contou com um time de mulheres que lutam fortemente pela igualdade neste âmbito, frisando o menosprezo e preconceitos que mulheres sofrem por conta dos padrões sociais. Eram elas, Maria Rita Casagrande,do blogueiras negras; Nanda Cury, do Blog das Cabeludas; e Stephanie Ribeiro, militante feminista negra.

Porém, a mesma destaca entre as palestrantes Maria Rita, protagonista de uma vida sofrida conseguiu por conta do preconceito de ser uma homossexual, negra, gorda e careca. A mulher deu “a volta por cima”, criou o blog e usa a internet para ajudar garotas com a mesma história a lidar com a repressão, ter paciência e tomar atitudes quanto ao sofrimento.

Além dos citadas acima, houve mais 6 debates.

Luiz Carlos Azenha, do blog Viomundo; Neusa Pereira, jornalista do Blogueiras Negras; Rafael Araújo, Professor de Política da PUC-SP; e os candidatos a vereador do PSOL, Douglas Belchior e Luiza Coppieters, abordaram um tema que causa grande discussão: Os efeitos da crise política no Brasil.

“Fotojornalismo e Direitos Humanos: Retratos da Humanidade?” foi a reflexão feita pelos fotógrafos Renato Stockler, da agência na Lata; Rodrigo Zaim e Jardiel Carvalho, do foto coletivo R.U.A.; e Rogério Assis e Sérgio Silva, independentes.

Cultura Hegemônica, “o que fica de fora?” e as causas e soluções do monopólio no jornalismo cultural, foi explicado por Daniel Benevides, Revista Cultura; Renata Prado, revista Brasileiros; Rosane Pavam, da Carta Capital; e Thiago Vinícius, da Agência Solano Trindade.

Uma discussão sobre como são feitas as coberturas de eventos ao redor do mundo, seja em ambientes democráticos ou em estados de guerra, foi feita com correspondentes. Sendo estes Kamil Ergin, Agência Ciham; Lourival Sant’Anna, Estadão/CBN; Hélio Campos Mello, revista Brasileiros; e Patrícia Campos Mello, Folha de São Paulo.

E “Democratização da Mídia”, com a presença de Adriana Reid, da Band; Ana Flávia Marx, da mídia alternativa Barão de Itararé; Fernando Sato, da Jornalistas Livres; Laurindo Lalo Leal, da TV Brasil; e Sinval Itacarambi, da Revista IMPRENSA.

Houve ainda um cine-debate sobre um episódio do documentário “Resistir é Preciso!”. No qual, em conjunto com Júlio Wainer, diretor da TV-PUC; Luiz Antônio Dias, professor de História da PUC-SP; e Ricardo Carvalho, diretor do filme, discutiu-se a importância do resistir na futura profissão. E uma oficina onde três jornalistas: Luíse Bello, Marina Pita e Pedro Alexandre discutiram sobre como a mídia trata o machismo, a população LGBT e os movimentos sociais.

A exposição foi importante para que os alunos, professores, e convidados debatessem assuntos que são discutidos em sala de aula porém pouco entendidos ou falados com pouca profundidade.

O evento que é organizado anualmente pelos alunos, neste ano, ocorreu dos dias 26 a 30, no auditório 117-A, do Campus Perdizes da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).