Direitos Humanos para todos

Tadeu Chainça

Jorge Mendes

Muito se vê, hoje em dia, sobre casos nacionais e, principalmente, internacionais em que os Direitos Humanos são violados, para, logo em seguida, serem questionados se foram aplicados de maneira correta, no momento correto. Além de gerar essa dúvida, exercer esses direitos têm causado muitas críticas no cenário atual brasileiro.

Quando vemos que policiais americanos são aplaudidos quando matam terroristas que destroem prédios e mancham uma disputa esportiva, para depois os policiais brasileiros serem acusados pelos Direitos Humanos por matarem um traficante muito conhecido do Rio de Janeiro, é realmente muito difícil não falar mal dessa conduta.

Porém, talvez a crítica esteja pegando um caminho errado. Se vista com frieza, a declaração criada após a Segunda Guerra Mundial trata de temas importantes e traça normas que devem ser respeitadas por todas as pessoas do mundo. O que acontece hoje não é exatamente isso. Em determinados lugares parece que não existem tais direitos, enquanto em outros, eles parecem ser mais pesados. E esses lugares não dependem de termos em discussão países ricos e pobres, mas essas áreas, dentro de cada um deles. Como é possível notar, principalmente em nosso país, quando há algo de errado com pessoas abastadas e com poder financeiro, na verdade não há erro, e quando o mesmo ocorre com pessoas menos favorecidas da sociedade, o problema toma proporções exageradas.

Não temos como afirmar que isso seja de caso pensado ou que as circunstancias afetam as decisões tomadas, mas certamente existe algum problema na aplicação dos Direitos Humanos.

Como se isso não fosse problema o suficiente, ainda é preciso saber observar o que é verdade e o que não é. Talvez os casos citados acima, mostrando o que gera a desconfiança da população, sejam tão manipulados como qualquer outro, fazendo a imagem desse documento, certamente o mais importante quando se trata das relações internacionais entre todos, ficar manchada de forma injusta e desnecessária.

Portanto, o sucesso da aplicação dessas normas não depende apenas dos responsáveis por tal ação. Como qualquer pessoa, a chance de haver algum erro na execução da tarefa é completamente viável. Ou seja, é necessário que haja uma certa paciência popular com relação aos Direitos Humanos, e, principalmente, o apoio de todos, visto que, somente assim, será possível aprimorar algo que é tão contestado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.