Código de bróder

Antes de mais nada: Isso é uma história de amor (ou não) em cinco rápidos parágrafos. São, quase sempre, casos verídicos alterados de forma sutil para servir à proposta do blog. Os personagens e os ambientes são ou podem ser fictícios.

*****

Asdrúbal e Sarinha se apaixonaram de forma platônica em um certo inverno brasileiro. Um inverno destes em que faz muito sol, que as emoções não ficam contidas e afloram conforme os dias passam. Um inverno diferente, sobretudo para os dois.

Se conheceram em um evento de amigos em um bar um ano antes, mas não fizeram contato. Só mesmo as redes sociais aproximaram as duas almas com certa sutileza. Aliás, tanta sutileza que eles tinham até vergonha de declarar interesse um no outro. Conversavam, mandavam mensagens, até que um dia ficou inevitável. Eventualmente, aconteceu.

Estavam em uma festa, na festa dela, muitas pessoas, muitas conversas, ficaram sozinhos no final para limpar a sala. Pararam frente a frente enquanto ele esperava um táxi. Não aconteceu nada. Sarinha chamou Asdrúbal para um sarau de poesia que seria organizado na casa dela. Ele chegou lá e não tinha mais ninguém, só Sarinha com um livro e uma garrafa de vinho. Em todos os momentos que hesitaram, consideravam as chances de que houvesse química entre eles. Mas algo estava impedindo.

O casal não podia ser um casal sem a bênção de uma terceira pessoa: o ex-namorado dela, que por acaso calhava de ser amigo de Asdrúbal. Toda a dualidade da decisão, o egoísmo, o altruísmo e até mesmo os medos vieram à tona. Será que Nonato iria aceitar? Como ele reagiria se soubesse que a sua ex estava entrando em um romance com um amigo? Naquela altura, Asdrúbal já havia cometido o doce crime de beijar a sua donzela, matando assim a curiosidade e a vontade que estavam lhe corroendo por dentro.

Mesmo assim, o rapaz quis saber de Nonato se ele se opunha ao que eles estavam querendo construir. Nonato ficou magoado e disse que sim, era contra. Asdrúbal então viu seu mundo desabar diante da negativa e se despediu de Sarinha, pois não podiam viver um amor culpado. Foram infelizes para sempre. Enquanto isso, Nonato superou bem a situação e está casado com três mulheres no Afeganistão.

FIM.