Para poder compartilhar as minhas experiências sobre a Escola de Missões na África, preciso começar a contá-las desde quando eu estava no Brasil. Não é sobre estar na África, mas sobre estar sensível ao Espírito e saber a todo o tempo onde Ele quer que você esteja. Uma vez que você recebe o chamado, o Senhor provê todas as outras coisas. Antes, eu achava que algo era da vontade de Deus somente se tudo estivesse certinho, se todas as portas já estivessem abertas, e caso tivesse uma portinha fechada “era um sinal” de que não era a vontade Dele. Sim! O Senhor abre as portas, mas é preciso dar um passo de fé enquanto elas estão fechadas. Quando eu decidi vir pra África, não tinha recursos, estava no meio do curso de pós-graduação, tinha o meu trabalho, e não sabia se ia receber o apoio da minha família. E fui caminhando mesmo com todas as portas fechadas. Foi como quando Deus falou para Moisés pedir ao povo que marchassem, antes mesmo do mar se abrir. Eles não ficaram parados esperando o mar se abrir, mas continuaram marchando. Foi exatamente essa experiência que eu tive. Eu dava um passo de fé e o mar se abria, às vezes era preciso dar mais que um passo pra conseguir ver ele se abrir, mas nunca cheguei a molhar os meus pés. Dessa forma o Senhor pode provar a minha fé, Ele honrou o meu coração e cuidou de tudo! Não da forma como eu imaginava, mas foi do jeito Dele, que é perfeito!

Dar um passo de fé não é sair fazendo as coisas sem consultar a Deus e muito menos orar e ficar parado. É orar e se movimentar. O Espírito é vento, é movimento! Primeiro você resolve as coisas no plano espiritual, na oração, no jejum, buscando a palavra, e uma vez que tudo já foi resolvido no plano espiritual pode ir sem medo! Deus é bom! Deus é fiel! Deus é misericordioso! Deus é amoroso! O que ele mais quer é cuidar de nós! Depois de orar por cada obstáculo, e de saber que o Senhor já tinha cuidado de tudo, eu fazia o que era necessário fazer: falar com a igreja, a família, a faculdade, o trabalho, vender camiseta, procurar uns bicos. E o Espírito ia selando cada atitude. Mas aquele que é poderoso pra fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos, me surpreendia, indo além do que eu tinha planejado. Recebi muitas ofertas as quais eu não imaginava: da igreja, de irmãos da igreja, de familiares e ainda pude ser uma testemunha do Senhor para cada pessoa que eu oferecia a camiseta. E sobre as camisetas, vendi 180 camisetas em 1 mês. E olha que sou péssima vendedora, super tímida, mas o Senhor me trouxe os colaboradores do Reino. Não era algo pra mim, mas para o Reino, por isso ele cuidou de tudo! E foi assim que pude ver o Oceano Atlântico se abrindo pra mim, saindo do Brasil e chegando na África do Sul.

Quando cheguei aqui na África, eu pensei que ia cuidar das pessoas, mas na verdade, eu é quem fui cuidada! Foram muitas experiências, nas quais eu pude ver o amor de Deus através das pessoas. Uma delas aconteceu quando chegamos à cidade de Secunda e não tínhamos onde dormir. Então os irmãos encontraram diversos lugares para passarmos a noite, e cada missionário foi parar em uma casa diferente. A dona da casa que eu fiquei logo me recebeu com um sorriso e um abraço carinhoso tirando toda a ansiedade que eu estava sentindo por passar a noite na casa de alguém que eu não conhecia. Depois me mostrou sua linda casa e o quarto onde eu ia dormir todo arrumadinho para mim, tinha até uns morangos e chocolate sobre a cômoda. Conversamos até tarde, demos risadas, lemos a bíblia, compartilhamos, foi como se a gente já se conhecesse. No dia seguinte, ela levou o café da manhã na cama, e quando nos despedimos ainda ganhei uns presentinhos. Diante deste cenário, pude ver que não era sobre eu merecer ou não, mas era o Senhor Jesus me ensinando mais uma vez. Já que eu disse que ia cuidar das pessoas, Ele estava me ensinando como se deve fazer isso: não é de qualquer maneira, é dando o nosso melhor, superando as expectativas de quem vai receber. Só o fato dela me hospedar, uma pessoa que ela não conhecia, estrangeira, em um dia que não foi programado, isso já era muito, e foi além disso. Assim como o Senhor Jesus cuida de nós, nós devemos cuidar das pessoas, indo além do que é esperado, sendo realmente a expressão do seu amor na Terra. Tudo que a gente se dispõe a fazer para Deus, Ele nos dá em dobro e antecipadamente!

Outra experiência foi no trabalho nas escolas. Quando me falaram que íamos dançar, internamente eu entrei em pânico. Pense em uma pessoa tímida, que busca a Deus de uma forma “mais tradicional” e que não tem o gingado brasileiro, muito menos o africano! Orei bastante a respeito disso e o Espírito Santo me deu paz, mais do que isso, quando eu dançava, sentia o fogo do espírito (o nome da música era “Soul on fire”) descendo sobre mim e fluindo para as crianças. Servir a Deus não é sobre qual o tipo de atividade que você vai fazer, mas sobre fazer a parte que o Senhor confiou a você, porque somos membros que exercem diversas funções, mas pertencemos a um só corpo. Cada um exercitando o seu dom, com o mesmo propósito: estabelecer o Reino de Deus. Não importa qual é a sua parte, você pode levar o amor e a esperança na vida das pessoas por meio de uma pregação, uma canção, uma dança ou até um abraço. Seja fiel no pouco e sobre o muito Ele te colocará.

Falando em um só corpo, poder ter a oportunidade de viver a unidade do corpo foi demais! Nós éramos de várias denominações diferentes, mas todos pertencemos a uma única igreja, ao corpo de Cristo. Tudo que conseguimos fazer, só deu certo porque estávamos vivendo a unidade e sendo encabeçados por Cristo. Durante uma vigília no Mount Zion, o Senhor me deu uma visão onde Satanás aparecia bem grande, e a medida que nós orávamos, ele dia diminuindo até ficar bem pequenininho a ponto que eu conseguia pisar nele. Esse é o poder da oração, resolver os problemas que parecem enormes. O pé sozinho não consegue esmagar a serpente, mas ele conta com o peso de todo o corpo para fazer isso. Esse é o poder da unidade!

E para terminar, outro testemunho que tenho para contar é em relação à pregação do evangelho. Eu ainda não falo inglês muito bem e o meu medo era de não conseguir ser útil ao Senhor por conta da barreira da língua. Um dia nós fomos a uma praça orar e compartilhar a Palavra individualmente. Uma senhora viu a movimentação e se aproximou da minha dupla, então eu percebi que essa seria a hora de romper essa barreira. Fiz uma oração por uma situação muito difícil que ela estava passando, em português mesmo, ai li uma passagem da bíblia e tentei explicar pra ela em inglês. Mas eu ficava falando errado e depois me corrigia. Aí ela me falou para eu não me preocupar se falava certo ou errado, porque mesmo quando eu orei em português ela entendeu pelo espírito. Ás vezes a gente acha que é pelo nosso discurso que vamos convencer os outros a crer, mas na verdade é o Espírito que tem esse poder. Se estamos cheios da vida de Deus, é essa vida que alcançará os outros levando salvação, conforto, cura…

Eu participei da 2ª turma da School of Missions e foi um tempo de conhecer o Senhor mais de perto, de cuidar e ser cuidada, de receber libertação, cura, amor, força e alegria. Esse ano voltei para a África, após ouvir o chamado do Senhor para servi-Lo aqui novamente, viver mais um tempo de transformação e ter a chance de levar essa vida para as outras pessoas. Que você também possa viver muitas experiências no seu serviço ao Senhor aonde quer que esteja!

Descobrindo o desenho que me faz ser única; e tornando esse desenho relevante para o Reino!

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store