ARRAIÁ

ouvir pássaros
como ouvir gritos
da janela 
tiro na poeira do sertão
tão efêmero o som
do meteoro díspare
passos acelerados
enfileirados em dia
de são joão
bandeirolas
quadrilha-fúria
fogueira de junho 
no olho de Juca estala
de Ritinha repousa
a barra da saia manchada
de sangue-novo
pro nervoso, garapa 
de açúcar mas 
cavo
mastigado feito charque
na terra de meu painho
reza a prece da Consolação
no cemitério 
do quintal choram velhas
com seus terços
e seus dentes caídos
feito a mão da defunta
que quara sob o 
comando do astro
irradiando o umbuzeiro.

K.