Minha experiência de 5 dias sem carne

Segunda-feira passada, acordei reflexiva e me sentindo muito bem; não, não li nenhum livro, nenhum artigo e tão pouco pedi conselhos para os vegetarianos que vive em volta de mim (que são muitos). Apenas acordei e decidi fazer uma “experiência curta” de ficar 5 dias sem carne, pra entender as dificuldades e vantagens.

Para a curiosidade de alguns, não sou super carnívora, mal consumo carne vermelha e na semana minha única fonte de proteína animal é mesmo o ovo e de fez em quando o frango. Portanto nesse aspecto de sentir vontade, até que foi tranquilo.

Logo no primeiro dia eu notei algumas mudanças interessantes, como ter a sensação de que sempre faltava algo no meu prato, e que talvez aquilo não me dava um total prazer ao comer (mas aí fiquei pensando, mas porque tô me sentindo assim sendo que mal como carne?), esse lance de proibir acho que mexe mesmo com o nosso psicológico rs.

Comecei a perceber ao longo desses curtos 5 dias que um prato que tivesse uma carne, já não me atraia tanto quanto antes.

Tomei consciência do tão desnecessário que é comer carne todos os dias, seja pelo seu lado nutricional, porque conseguimos facilmente atingir fontes de proteínas sem nenhuma proteína animal, nossa alimentação fica mais rica em questão de nutrientes porque nos atentamos em sempre ter um vegetal no prato, aumentando assim seu valor nutricional. Além de descobrir novos sabores e ter novas idéias no prato.

E não posso deixar de lado a consciência do impacto ambiental que causa ao consumirmos carne em excesso.

Senti algumas dificuldades, como: muitas pessoas tentando sabotar e com mil questionamentos do porquê de fazer isso (e realmente isso enche o saco) e comer fora, é incrível como você percebe que TUDO tem carne, era salada de grão de bico com atum, vagem com kani, massa a bolonhesa e por aí vai.. porque pensa que ser um vegetariano saudável por 5 dias não é uma tarefa muito fácil fora de casa rs.

Mas ganhei muitas vantagens: melhora na disposição, digestão (isso nem se fala), mudanças na pele e no cabelo.

Hoje estou colocando em prática o que um grande amigo vegetariano falou pra mim (Gustavo Tanaka), que não devemos proibir, quando bater vontade, coma; as vantagens são tantas que aos poucos você vai retirando do prato, e como hoje eu sinto vontade em uma escala bem menor do que antes, acabo consumindo menos.

Entenda que comemos muito além do que precisamos, o meio ambiente não vai suportar esse padrão em escala mundial.

Priscila Ishimaru, nutricionista em busca de novas experiências.

Like what you read? Give Priscila Ishimaru a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.