Sobre maternidade.

Amor materno, um mito.
Todo amor é construído
No dia a dia, no cotidiano
Não é assim não… amar alguém que já chega te zoando…
Chora! Grita! Te tira o sono e o sossego.
Te deixa marcas no pós-parto e rachaduras no bico do peito
O cansaço te faz chorar, te faz fraquejar, te faz pensar:
“Não era pra eu estar feliz? ”, como todo mundo diz
E te faz até duvidar: “será que eu vou aguentar?”

Todos os sonhos se tornam grandes demais pra uma rotina apertada
Cuida de filho, estuda, trabalha
Isso as que podem voltar a trabalhar, né?
Porque ainda tem macho babaca que acha que mulher, depois que pare, tem que ficar em casa
“Credo, ela nem se cuida mais!”
Até a nossa aparência tem que estar boa.
Olheira e cabelo sujo são um crime e o choro é à toa
Tem que estar sorrindo, feliz, plena, linda
Que nem em comercial de fralda ou de margarina
Mas no fundo nós estamos gritando por socorro
E tudo o que precisamos é uma escuta genuína

Se eu não posso mas sonhar, quem eu sou?
Sem sonhos não sou ninguém e nem sei pra onde eu vou
Tu és mãe!”, eles dizem, como se isso me bastasse
Não quero ser extensão de ninguém, não
Quero ser eu mesma e ter minha própria identidade
Quero ser conhecida como Pricilla, e não como ‘mãe do Juan’
Sou muito mais que um cuidadora
Olha aqui, tô até fazendo rima pra Slam.

Mas tem gente que me nega o espaço que é meu por direito
Social, politico e até financeiro
Porra! Tem até mulher que em movimento feminista olha torto se a criança pia
Deixa eu te falar, filha; se tem mulher no meio, vai ter criança no espaço.
E já dizia Gail Dines: Qualquer movimento que luta pra melhorar a vida das crianças, que não seja feminista, está fadado ao fracasso.
E ainda tem gente que diz que não amo meu filho
Me chamam de cruel, de monstro, só não me chamam de santa
Mas me diz: tu aguentarias tudo isso por alguém que não amas?
Minha cria é o amor da minha vida, minha luz
Mas vou dizer uma coisa: esse amor não me reduz.
Eu também preciso de cuidado e que mal há em cuidar de mim, dos meus sonhos?
É pecado mãe sonhar? Ou ela só tem permissão pra cuidar dos sonhos dos outros?
Se for isso eu não sou mãe, sou só uma parideira
Mas pelo menos não vou jogar, nos ombros do meu filho, frustrações de uma vida inteira.

E não tem pra onde correr
Se tem filho toma critica, toma opressão, toma pitaco
Nem no rolê eu posso ir sem ter que responder pra pelo menos 30 pessoas, com quem eu deixei o pirralho.
Isso te interessa porquê? Vais pagar a babá?
Então vai te foder e deixa eu fritar!
Se não quer ter filhos não pode nem esterilizar
Tem que ter 2 filhos vivos ou 25 anos.
E se for casada no papel, o marido tem que deixar
Mas e abortar? Shhh…

Então, faz um favor pra nós: Para de romantizar maternidade, mermão!
Pára de dizer que ser mãe é padecer no paraíso ou que filho é uma benção
Isso é ser cuzão!
Engravidar é perfeitamente natural
Ser mãe e sentir esse amor incondicional de novela, isso não é, não.

27.06.2017

Like what you read? Give Pricilla Costa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.