FOTOGRAFIA E PINTURA: Técnicas que retratam sentimentos

Imagem da internet

Por vezes as pessoas enxergam a fotografia e a pintura como esferas distintas. Ao analisar, ver-se que ambas têm como finalidade expor situações e se colocar como forma de representação da realidade. Independente dos aparatos usados, seja a pincelada de uma mão suave ou o auxílio de um equipamento tecnológico, ambos agregam a si significados.

No livro “Lendo imagens” de Alberto Mangue, o autor faz uma análise de artistas como Pablo Picasso onde no texto “A imagem como violência” traz pinturas como “Mulher chorando” (1937). Picasso demonstrava os seus próprios sentimentos através das mulheres. A imagem abaixo é o retrato de Dora Maar, mulher que se relacionou com o pintor por anos e que chegou até mesmo a ter problemas psicológicos devido a forma abusiva que era tratada, quando por meio de acusações intencionais ele mostrava uma outra face de Dora, a “despedaçada pela tristeza”. A forma como o rosto da mulher foi alterado, as cores usadas e as linhas que dão volume ao desenho direciona o olhar do espectador para determinadas áreas.

Mulher Chorando, 1937, Pablo Picasso, óleo sobre tela, 60,8 x 50 cm, Tate Gallery, Londres.

Na fotografia, como dito por pelo professor Celso Guimarães (UFRJ): “Olhar sensível, instantes infinitos”. Desenhar com as luzes é uma forma de eternizar momentos, e, por meio deles, somos capazes de representar e, ainda, nos sentir representados. Em sua palestra o docente Celso Guimarães falou, dentre outras coisas, sobre o uso das técnicas na fotografia e a importância do olhar de quem a faz. Para chegar em fotos consideradas como instantes decisivos é de se esperar que a pessoa esteja preparada para reconhecer o significado da situação. Quando se conhece o objeto e o objetivo daquele momento é mais fácil distinguir a melhor forma de se posicionar, de como manusear o equipamento e a hora certa de apertar o botão.

imagem da internet

Para Henri Cartier-Bresson “Fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração”, não só de técnica se faz a fotografia, mas por meio dela os sentimentos são melhores expostos. Por meio de expressões como a fotografia e a pintura ver-se não só quem é retratado, mas a forma como a pessoa é vista por quem o faz.

Produção feita para a disciplina de Fotografia, ministrada pelo professor Cecílio Bastos.

Referências:

MANGUEL, Alberto (2000). Lendo imagens: uma história de amor e ódio. Tradução de Rubens Figueiredo, Rosaura Eichemberg, Cláudia Strauch. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

COMO LER UMA IMAGEM: A FOTOGRAFIA CONTEPORANEA E SUAS PROBLEMATICAS. Disponível em: <https://tramafotografica.wordpress.com/2011/10/10/como-ler-uma-imagem-a-fotografia-contemporanea-e-sus-problematicas/> Acesso em 04 de set. de 2017.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Priscilla Souza’s story.