Aqui é @prissguerrero1 , tudo bom com vocês?

Neste exato momento, Manaus, capital do Amazonas, um estado brasileiro, está assistindo seus habitantes morrerem sufocados pelo governo Federal, presidido pelo Senhor Jair Messias Bolsonaro, cujo Ministro da Saúde é o Senhor Eduardo, Pazuelo, Um General de Logística do Exército Brasileiro.

As pessoas em Manaus estão morrendo pela covid, em seus leitos, sufocadas porque não há cilindros de oxigênio para elas poderem sequer ter a chance de lutar por suas vidas.

Há poucos dias, o Ministro da Saúde esteve nesta cidade e pelo que constam as apurações das reportagens, foi levada uma…


Foto de caveiras. Acervo particular de Priss Guerrero. Imagem meramente ilustrativa.

Ra-tatatata Ratatata!
Tombou, cabeça estourada, peito arregaçado. Sangue mole vertendo pelo que um dia fora um corpo. A massa rosada de carne humana pútrida e fétida, amalgamada, onde não se podia dizer onde começava um e onde terminava outro, se era homem, mulher, negro, branco, amarelo, era tudo encarnado.

Pontos escuros, velhos coagulados, odor de morte e lama por toda a parte.
Ra-tatatata Ratatata!

Outra rajada mortal, outra fileira caída, moedor de carne a pleno vapor, um grande trovão ecoa, mais material inerte para a pasta de carne crescente. Gemidos, suores, calafrios.

“Há alguém vivo aí? Há algum filho da…


Foto de um sapato branco salto agulha. — Imagem meramente ilustrativa

Orlando acordou cedo, tomou banho, penteou os cabelos e a barba. Vestiu-se, pegou a pasta de trabalho, saiu pela porta e partiu para o compromisso matinal. Rotina diária de um homem suburbano de uma cidade qualquer e que trabalha em um escritório.

Passos apressados, sapato largo, brilhando com o sol daquela manhã de verão. Olha apressado o relógio, está no horário. Relaxa então e admira um pouco a paisagem de prédios e carros engarrafados, passarinhos tossindo poluição nas árvores, um cão brincando com uma criança risonha em uma casa da vizinhança.

Atravessou três cruzamentos até chegar ao ponto de ônibus…


Futebol com os amigos — imagem meramente ilustrativa

Chegou do futebol com os amigos, suado, estirou-se na poltrona do apartamento, pés pro alto, fedendo como uma animal encardido, jogou as chuteiras para longe, ligou a TV no canal dos esportes. Já trouxera uma cerveja, degustava a loura gelada, batia na barrica saliente e molenga como uma gelatina.

Aurélio era um homem que morava só e tinha uma vida relativamente tranquila e boa. Arrotou duas vezes antes de se levantar após terminar a bebida, coçou a bunda e foi tirando a roupa pelo caminho até o banheiro, onde tomou uma longa e merecida ducha. Fora o herói do…


Composição by @prissguerrero1

Aí o Caburé estava doido, correndo feliz pela mata, pulando pedras com seus grandes pés descalços, penachos nos tornozelos farfalhando a mata, puxando e esticando galhos, braçadeira de couro de paca trançada e apertada, pintura de festa pelo corpo, pendurava-se num cipó, equilibrava-se no tronco de buriti, fingia voar como uma arara entre as folhas.

Subiu o grande morro, dependurou da pedra e saltou no infinito azul, desaguando-se junto à grande piscina natural, que vinha do rio maior ainda, que do alto daquela colina produzia um chuveiro cristalino que engrossava aos poucos.

No mergulho fundo, cutucou…


Foto by Priss Guerrero

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos,
Há uma nuvem de terrores e pesadelos
Uma angustia pálida sem fim,
Ao descobrir que, de fato, você gosta de gim

Oh bebida vil,
Que o deixa menos viril! …


Foto by https://pixabay.com/pt/users/frizio-516868/ -–- Editado por Priss Guerrero

Doutor Paulo Oliveira, pesquisador e arqueólogo desembarcou às 15 h no aeroporto da cidade. Tomou um carro com motorista, que o esperava no saguão, com uma placa com seu nome, escrito errado: “Paul Olive Ra”. Era comum errarem seu nome nos serviços que prestava naquele país. Não era a primeira vez. Não seria a última. Havia se conformado com isso.

Vinha de uma cansativa escavação na Europa. Deixou a tarefa para seus auxiliares. A parte mais complexa do trabalho, decifrar os códigos, ele já fizera e estava tranquilo. Tirar o pó, catalogar, isso era importante também, mas podia deixar com…


Foto by Danilo Arouca – editada por Priss Guerrero

Como começar esta carta? Eu me lembro bem de nossos passeios e sei que você também tem essa memória, afinal, me contou várias vezes enquanto jantávamos outra noite.

Aquela noite em que perdemos totalmente a noção do tempo, mais uma vez, distraídos, conversando e divagando sobre assuntos infinitos. Você é bom de papo. Eu também.

O tema de nossos assuntos girava em torno daquela vida que tivemos juntos e isso foi bem interessante. Não sabia que você se lembrava de tantas coisas assim, tantos passeios, com uma riqueza de detalhes tão profunda, que seria possível até que me descrevesse a…


Ilustração by Priss Guerrero

O vento soprava devagar, seus negros cabelos embaraçavam pouco a pouco enquanto olhava o horizonte. Seus pés afundavam na areia fina, fofa, pálida e morna.

As cores palideciam naquele poente, mesclando-se umas às outras como sorvete e cobertura. As ondas tremulavam suaves na costa, batendo calmamente na orla. Assistia àquele espetáculo natural, a respiração lhe faltava, aquela beleza exuberante o sufocava. Um pássaro voou ao longe, um ponto negro cruzando a abóboda celeste.

Sentou-se na areia e observava sem parar o horizonte. Lembrava-se dela naquele instante e como ela lhe desejou uma ‘boa viagem e cuidado’. O peito doía, um…

Priss Guerrero

Ilustradora-viking-nerd-exploradora-aventureira-bizarra.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store