Cerveja artesanal em 4 passos: conheça o processo da produção caseira da bebida

Desde o início do ano acompanhamos a rotina de alguns homebrewers nas fabricações das próprias cervejas. Ao longo de seis meses foram muitas visitas, conversas e as mais variadas cervejas, que você pode rever aqui, aqui, aqui e aqui. Por isso, para finalizar esta série, fomos acompanhar uma brassagem coletiva feita pelo grupo de apaixonados pelas artesanais no Whatsapp, Debatendo Cervejas que aconteceu na cervejaria Taberna do Vale.

O Debatendo Cervejas, carinhosamente chamado de DC foi fundado por Paulo David, mais conhecido como “Paulada”, que é advogado e beer sommelier.

No início, a ideia era somente reunir amigos cervejeiros de um grupo de Whatsapp que já existia amigos sommeliers de cervejas que se graduaram juntos pela Academia Sommelier de Cervejas em 2013, para bater um papo sobre assuntos ligados ao universo das cerveja.

Diariamente são muitas mensagens sobre assuntos que vão desde os diversos estilos de cervejas, impressões nas degustações, sugestões de harmonização e divulgação de eventos, cursos, lançamentos de cervejas, equipamentos e todo oça universo de informações e conhecimento ligado às cervejas especiais. Atualmente, o grupo conta com 186 participantes e dentre as atividades desenvolvidas juntas estão as brassagens coletivas.

Nesta visita, acompanhamos a produção de uma cerveja do estilo Porter, a receita foi desenvolvida por alguns membros do grupo, são eles: Vandré Guardieiro, Renato Buaiz/Cervejaria Aeon, Eduardo Paolielo e Thiago Franco.

E agora nós vamos contar um pouco deste processo pra você:

Passo 1: Para começar a produção os cervejeiros fazem a moagem do malte, este processo é feito para abrir o grão que será fervido.

Passo 2: Na tina de brassagem, ou tina de fervura, a água utilizada deve ser o mais neutra\pura possível, ela é esquentada e acrescentada em etapas para que se forme uma escala de temperaturas e vá modificando o malte onde é feita a conversão do amido do malte em açúcares menores para a formação do mosto cervejeiro.
A cada rampa de temperatura os cervejeiros extraem o que desejam do malte, são várias possibilidades, um aroma, açúcares diferentes, corpo ou sabores.

Passo 3: Depois deste processo, aquilo que se parece com um “chá de malte” é transferido para uma terceira tina de fermentação, onde é adicionado o fermento que é a levedura e que entra em uma dessas rampas de temperatura.

Passo 4: Depois de acompanhar as rampas com bastante atenção a preparação é transferida para o balde fermentador, neste momento a própria ação da gravidade gera a oxigenação, importante durante a fermentação para a multiplicação celular da levedura.
Este fermentador vai para dentro da geladeira com temperatura controlada e fica lá por volta de duas semanas, logo depois vem o processo de maturação até a bebida ficar pronta para o consumo.

Vale lembrar que este é um panorama geral do processo de produção da cerveja artesanal. Caso você queira se aventurar é preciso buscar alguns conteúdos importantes, em blogues, sites, livros; além disso a troca de experiências com homebrewers e mestre cervejeiros mais experientes é sempre válida.

E em breve, o Experimente oferecerá cursos para os amantes da bebida no nosso novo espaço Escola Experimente.

Fique ligado em nossas redes sociais para saber das novidades. Até mais!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.