Nascia hoje Theodor Adorno

Theodor Adorno nasceu em 11 de setembro de 1903, em Frankfurt. Estudou música durante toda a infância e adolescência e tinha, inclusive, aulas particulares de composição com Bernhard Sekles. Além de ler, nas tardes de sábado, Immanuel Kant com seu amigo Siegfried Kracauer — 14 anos mais velho e especialista em Sociologia do conhecimento. Mais tarde, Adorno chegou a dizer que devia mais a estas leituras do que a qualquer aula com seus professores de faculdade.

Na Universidade de Frankfurt (atual Universidade Johann Wolfgang Goethe), estudou Filosofia, Musicologia, Psicologia e Sociologia. Em 1924 defendeu sua tese sobre Edmund Husserl (A transcendência do objeto e do noemático na fenomenologia de Husserl), orientado pelo professor Hans Cornelius.

Por conta do nazismo que se instaurava na Alemanha. Adorno teve que se refugiar nos Estados Unidos, visto que, mesmo sendo ele mesmo ateu, era de descendência judaica e tinha ideias socialistas. Foi durante esse período de exílio que ele começou a refletir sobre os meios de comunicação de massa, compreendendo que são esses meios os alicerces da industria cultural.

Ele compreendeu que esta criação do Capitalismo (os meios de comunicação de massa) molda a mentalidade dos que a consomem, gerando conformismo e a resignação no povo, que fica paralisado diante de um sistema cruel que deforma a essência de nosso ser.

Foi a partir dessa ideia que estudou a massificação da cultura, compreendendo que, sob uma falsa liberdade, a mídia americana criou uma ideologia padronizada que está em todas as áreas, visando controlar a massa que está apática, induzindo elas ao consumismo e à submissão ao sistema.

Claro que Adorno foi responsável por diversas outros estudos importantes, como a dialética negativa e a dialética do esclarecimento. Mas aqui iremos limitar nossa homenagem.

Adorno faleceu, por problemas cardíacos, no dia 6 de agosto de 1969, aos 65 anos.