Empreendedor: aqui tem 5 dicas de ouro para você

Barraquinha de limonadas: até o mais simples dos negócios exige planejamento.

Não é novidade para ninguém que o nosso país vem em uma crescente onda empreendedora. Segundo a Serasa Experian, a quantidade de novas empresas criadas até o final do segundo semestre de 2015 ultrapassou a linha dos 1,5 milhões, número que representa um crescimento de 4,5% em comparação com o ano de 2014.

São vários os motivos que levam cada vez mais brasileiros a arriscar abrir o seu próprio negócio, sendo o quadro adverso da economia nacional o principal deles. Esse fator aumenta o número do empreendedorismo por necessidade e não apenas por oportunidade de mercado, e é exatamente aí que mora o perigo.

Digo “perigo” pois a necessidade pode levar à decisões precipitadas, falta de planejamento e gestão, ansiedade, e, por vezes, endividamento. São esses aspectos, junto com a falta de experiência, que levam boa parte desses novos negócios a fechar as portas nos primeiros anos de vida.

Pensando nos empreendedores de primeira viagem, seguem abaixo 5 dicas importantes para se ter em mente no momento de abrir o seu próprio negócio:

  1. Plano de Negócios não é “fru-fru”, é essencial

O Plano de Negócios é vital para que você mesmo compreenda a sua empresa antes de externá-la para o seu público. É ele que vai ajudar a definir a proposta de valor da sua empresa, sua estrutura de trabalho, estabelecer os seus principais recursos, fontes de receita e plano de custos, ajudando inclusive a traçar os canais que serão utilizados para criar um relacionamento com os clientes. Estabelecer uma previsão de rentabilidade para os primeiros anos da empresa é de grande importância e o plano de negócio vai te ajudar nesse ponto também. Para ajudar nesse primeiro momento, existem algumas perguntas-chave que você deve fazer a si mesmo:

  • Como o meu negócio vai se diferenciar no mercado?
  • Qual inovação está propondo?
  • Quais problemas o meu serviço/produto/solução resolverá?
  • Que segmento de clientes pretende atender?
  • De onde virá o meu lucro?
  • Onde devo investir meus recursos?
  • Quais são as atividades-chave do meu negócio?
  • Que parcerias são necessárias?
  • Que canais devo utilizar?

A ferramenta mais utilizada para a construção de um modelo de negócios é o Business Model Canvas, e o Sebrae automatizou essa ferramenta em um aplicativo. Você pode acessá-la aqui: https://www.sebraecanvas.com/#/

2. Gere valor para o seu cliente

Ter e saber qual o diferencial do seu negócio é vital para que ele tenha algum valor aos olhos do cliente. A primeira pergunta da dica número 1, listada acima, vai te ajudar a entender o valor da sua empresa: pergunte-se como a solução oferecida vai se diferenciar em um mercado repleto de concorrentes.

3. Buscar conhecimento e capacitação é sua obrigação

A constante busca por informação, conhecimento e capacitação na área em que você deseja atuar é fundamental para compreender o mercado e dominar as próprias atividades da sua empresa. É importante ter em mente que o conhecimento não se adquire de uma só vez, é um processo constante e você precisa se esforçar para estar atualizado quanto as novidades do mercado em que atua. Essa dica é simples e essencial para o sucesso da sua empresa.

4. Experiência: vale a pena apostar nela

Ajuda: você vai precisar.

Se você possui pouca ou nenhuma experiência no segmento de negócio em que deseja atuar, é válido buscar esse know-how em um sócio, funcionário ou mesmo em uma consultoria de negócio, que já tenha experiência nessa atividade. Tenha em mente que ninguém é bom em tudo e que você vai precisar de ajuda no momento de empreender, por isso procurar um parceiro que tenha um conhecimento que seja complementar ao seu é tão enriquecedor. Vocês vão aprender muito juntos.

5. SEPARE AS FINANÇAS PESSOAIS DAS FINANÇAS DA EMPRESA — não é por coincidência que esse título está em caps lock

Ter um controle financeiro bem estruturado para a sua empresa é importante para não se perder na contabilidade e evitar transtornos. Não são poucos os casos de empresas que tiveram que fechar as portas por causa da falta de um controle financeiro específico da empresa, que pode levar a endividamentos ou falta de recursos para uma emergência. Não use a sua conta bancária pessoal para entrada de valores que são da sua empresa, assim é fácil se perder. Outra boa dica é estipular um salário para os proprietários, que deverá ser retirado junto com o pagamento de funcionários, evitando ao máximo retirar valores fora de datas pré-fixadas.


Empreender é frio na barriga e incertezas, é vestir os chapéus que forem necessários para fazer o seu negócio ir para frente, mas você só pode fazer tudo sozinho por um certo tempo. Busque a ajuda que for necessária para adquirir conhecimento e se capacitar, o Sebrae e a Endeavor possuem ótimas iniciativas para ajudar microempreendedores, vale a pena conferir.

Por vezes a ansiedade e insegurança vão bater na sua porta, mas é importante não se frustrar antes da hora. Vários fatores podem atrasar um pouco o reconhecimento e estabilidade da sua empresa e é normal ter mais gastos do que receita no primeiro ano de vida. Não deixe de buscar conhecimento e nem perca a vontade de trabalhar, cada tipo de negócio tem o seu tempo para se estabilizar. E lembre-se: investir em estratégias de marketing e comunicação com o seu público é essencial para ganhar visibilidade. Para isso você vai precisar de uma marca que transmita a essência da sua empresa e seja condizente com o seu ramo de atuação — procure um profissional qualificado para te ajudar, não deixe a identidade do seu negócio nas mãos de pessoas que não possuem o conhecimento adequado.

Algumas marcas criadas pela Morgan Publicidade BBB

Precisa de ajuda para criar uma marca forte para o seu negócio? Fale com a gente através do e-mail contato@publicidadebbb.com.br e descubra as soluções que temos para o seu negócio. Continue acompanhando os nossos posts para mais dicas empreendedoras. :)

Texto escrito por Luana Leão, aspirante de Relações Públicas e Atendimento na Morgan.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.