Estrutura

“High Wire Act”, elemare.

Eu não tenho nada a dizer que não seja dito nas entrelinhas
Toda a gente me dói, porque toda a gente me lembra
(E eu crio pontes de dor)
Talvez eu seja uma ponte
Erguida sobre pilares que nada significam
Levando apenas de um lugar ao outro
Pelo menos, estou sobre um rio
(Um rio é poético)
Eu não tenho mais medo das palavras
De muitas coisas sim, mas delas não
O rio me corta ao meio sem me tocar
Vou caindo, caindo
Dentro de mim, não há pulmão que se encha d’água
Só cimento
Viga
E muita poeira
(Se eu tivesse mãos, elas tremeriam)
Agora meu corpo de ponte comprida
se sente seguro
Os peixes me engolem
Logo
O muxoxo da vida
Vai se criar
De novo
(A criação é sempre feia)