Impeachment — a política dos relacionamentos

O cenário político anda em alta. Mas tá in por diversos motivos, in também de intolerante, incerto e insatisfatório. Igualzinho muitos relacionamentos por aí.

Dias destes estava conversando com alguns amigos sobre as relações (inclua aqui as amorosas e entre amigos) nas gerações dos nossos pais e avós. Longe de achar que eram 100% melhores das que vivemos hoje em dia, mas tivemos que concordar em que as pessoas eram muito mais pacientes umas com as outras. E a política é um reflexo disso.

Claro que tinha descontentamento, mas hoje em dia, tanto no governo quanto na intimidade, o que anda vigorando é a Lei dos Descartáveis. Não gostou troca, pega o próximo. E, como toda lei, beneficia alguns, outros nem tanto. Na minha opinião acho que tem alguns pontos positivos. Primeiro, que é ela é a favor do livre arbítrio. É bom saber que temos a liberdade de, caso não estejamos gostando de alguém, voilà, pula fora. Não precisa ficar insistindo em alguém com milhares de pessoas disponíveis aí por esse mundão de meu Deus. Outra vantagem é que antes, as pessoas mantinham relações muito mais por aparência. Acredito que agora tendemos a ser mais sinceros e viscerais.

A parte não tão boa assim, é que tudo vira motivo de impeachment. Não raro escutamos argumentos do tipo “era legal, mas cantava sertanejo”. Não que eu goste, mas não dá pra “impeachmar” alguém da vida da gente só porque a pessoa gosta de um estilo musical diferente. “Leu meu WhatsApp e não me respondeu” já é motivo pra abrir CPI que discuta relação. E não é o fato de fazer uma delação premiada dizendo que fulano gosta de Romero Britto que faz alguém ter bom gosto. Sim, também acho cafona, mas os que gostam não merecem essa bomba de efeito moral todo tempo.

O fato é: a Operação Lava Jato chegou também aos nossos corações. Trouxe muita coisa boa, como a intolerância aos amores roubados e às amizades corruptas, onde alguns tiram proveito do sentimento e fraquezas dos outros. A parte chata, é que pra dar um basta nessa desonestidade do amor grampeamos o Instagram e o Facebook alheio e qualquer movimento suspeito vira maior nóia que põe qualquer partidão pra correr.