Rock in Rio

Hoje é dia de Rock’n Roll.
E, de cima, o Cristo nos observa com ironia
Sem clima, os sons de tiros ressoam uma sinfonia
De chacina, em cidade onde a disparidade é o show.

Por detrás do contraste municipal, não há bem contra o mal
Há o pobre, aspirando por um show internacional
Abaixando-se do seu pagamento feito em chumbo (de policial?)
Não será estrela, mas sua imagem correrá o mundo.

E é na sonoridade deste solo de versos
Que exalta-se uma cidade com valores inversos:
Enquanto estudantes são impedidos de fazer o vestibular
No espetáculo do tráfico, não se cobrará ingresso.