Eu decidi parar de me sabotar

Esse feriado prolongado foi muito bom pra dar uma pausa que estava precisando. Não trabalhei na segunda, nem hoje, na terça, e tive muito tempo pra relaxar e respirar um pouco. No sábado, sai novamente com uma acompanhante de luxo, já estava há quase 1 mês sem sexo (novamente) e estava me fazendo muita falta ultimamente. O restante do feriado foi recheado de documentários, diversos conteúdos, muitos textos do Medium e muita reflexão.

No final, foi bem positivo o resultado e fiquei feliz de ter esse sentimento.

O ponto mais positivo desse tempo foi, finalmente, ter tomado a decisão de parar de me sabotar. Cheguei à conclusão de que eu era mestre nisso e resolvi não ser mais. A aceitação à partir de agora será mais presente em minha vida. Promessa fazendo figa.

Essa é a figa, pra quem não conhece. Será que coisa de interior? Pelo menos aqui no interior do interior de SP é.

Há um tempo atrás eu havia iniciado um ‘projeto’ para perder peso. A proposta inicial é que eu faria por 6 meses uma dieta e rotina pesada de exercícios. A meta era chegar o mais próximo possível pra sair dos 3 dígitos.

Desde o começo eu levei esse projeto com a intenção de que estaria colocando minha saúde como prioridade, e que faria de tudo para ter uma vida mais saudável, mais leve. Pura sabotagem, mentira. Não teve nada a ver com isso.

Eu percebi que a minha intenção verdadeira era estética e pra ter outros resultados. Eu estou solteiro, não tenho um pingo de confiança e auto-estima e mudar meu peso, ou pelo menos ter um peso aceitável, me ajudaria a sair com mulheres interessantes, ter relações e relacionamentos. Essa sempre foi minha intenção, mas o costume de me sabotar é mais fácil pra mim.

A aceitação das coisas, situações e até das minhas verdadeiras intenções é uma decisão que levo comigo agora. Mesmo sem expor isso pras pessoas que convivem comigo, levarei essa atitude a partir de agora. E, amigos, é bem melhor assim.

Iniciarei novamente um programa de perca de peso para chegar aos 99kgs o quanto antes. Com 1,85m, creio que ficarei em um peso bom e sair desses 3 dígitos tem um valor sentimental muito forte. Espero que isso me faça recuperar a auto-estima (pelo menos um pouco dela) e que eu possa voltar a ter relacionamentos. É meio que dançar conforme a música. Não adianta acreditar que beleza não é tudo, de que as pessoas gostam de alguém com conteúdo, de que ter cabeça é muito melhor do que ter corpo, beleza não se põe na mesa ou qualquer outro ditado tosco…. It’s a bullshit. Eu não tenho grana, não sou um babaca que maltrata, não ofereço perigo de que posso deixá-la por outra e muito menos sou engraçado ou tenho algum dom que possa encantar outra pessoa. Eu não tenho nada que vale em um relacionamento. Enquanto não for por estética, não terei nada.

Aceitação é mais presente em minha vida, lembra que eu falei ali em cima?

Estou pensando em escrever sobre esse período e tudo o que for acontecendo. Acho que vai me ajudar.


E se você precisar falar comigo em algum momento, por esse e-mail eu consigo responder o dia todo: quasemurilo@gmail.com

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.