Pensei em gritar

gritar

para quem diabos quisesse ouvir

que eu te amo

e por favor, não fica com ele.

Não com ele.

Não com mais ninguém.

Fica comigo.

Aqui.

Eu te prometo sim te fazer feliz

e correr atrás

cada vez que o destino parecer

brincar com as nossas vidas.

E tentar

não ser assim

como uma montanha-russa

descompassada

te trazendo vertigem.

Me escolhe.

Escolhe encarar meu caos

todo dia de manhã

e me permite assim,

observar os girassóis em teus cabelos.

Eu sei que pareço ser só

um turbilhão desajeitado de sentimentos diversos

estranhos

mas me deixa te explicar:

hoje

sou cinza

tempestade

mas por dentro

eu sou raio de sol.

sou tanta luz

mas admito

não sei transcender essas delimitações

físicas

psicológicas.

Foram tantos cortes, menina

tantos amores que deram errado

tantas cartas de amor enviadas mas não lidas.

Eu tenho medo.

Você não vê?

Sou só medo em forma de gente.

O grito fica preso

em minha garganta

feito um nó mal feito.

Desde pequena

ouvi dizer que tem coisas que não se pode pedir.

Amor é uma destas coisas.

Olhe só,

eu quis pedir.

Quis muito

enumerar todas as razões

que -supostamente- deveriam te trazer pra mim.

Mas é injusto fazer isso.

Tenho uma forte admiração pela justiça,

você sabe.

Então, me mantive calada.

Observei você dizer cada palavra

como quem vê um furacão se aproximando

mas não consegue se mover.

E soube

naquele instante

que não havia mais o que fazer.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Isabella Soares’s story.