Percorre descalço os percalços do teu corpo

Afaga a nuca que verte suor na tua têmpora

Assedia o seio que desabotoa o desnude.

E o riso frouxo que explode

De repente em sua frente desfaleço.

Perco os dados, os traços

Nesse jogo sem adversários

Que ninguém perde.

E em verdade te digo, te grito

Que os lençóis cheios de rito

Fizeram da fome, sem nome,

Ânsia.

01.10.2016

Like what you read? Give Rodrigo Prado a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.