“Promise me you’ll never feel afraid”

“Me prometa que você nunca sentirá medo”, ele disse, antes de partir…

Acho que tenho passado os últimos anos da minha vida lembrando e esquecendo disso, tentando e desistindo, tentando e conseguindo… Eu diria que já percorri um bom (não tão longo) caminho nesta longa jornada de não sentir medo.

A vida inteira tive medo. Medo de não viver direito, medo de não aproveitar a vida o bastante para estar no leito de morte sem pensar “e se…”, medo de não sentir intensamente e medo de sentir intensamente, medo de amar, medo de sofrer, medo da mágoa, medo da vergonha… E com todos esses medos, fiquei com medo de me mostrar ao mundo, medo que soubessem o que penso e o que sinto. E com tanto medo, não vivia direito, e acabava tendo medo de não aproveitar a vida… Chega a ser irônico.

A verdade é que, admiro aqueles que tem coragem de mostrar ao mundo quem realmente são, humanos frágeis e imperfeitos. Aqueles que não tem medo de sentir e nem de demonstrar sentimento, que não tem medo do que possa acontecer em consequência disso. Admiro aqueles que não tem vergonha de simplesmente “viver intensamente”.

Ultimamente venho trabalhando nisso de não sentir medo. Honrar o último pedido daquele que tanto me inspirou a me tornar a pessoa que sempre quis ser mas tive medo. Ah, meu anjo, você nem imagina o quanto evoluí ultimamente, finalmente estou saindo da minha zona de conforto e acordando todos os dias com a alegria de saber que finalmente, estou deixando o medo ir embora, me impondo, permitindo que o mundo me conheça, sem vergonha de simplesmente ser.

Este é o começo de uma nova era…

“Durma bem. Eu não estou com medo.”

Rach. 11/06/2016

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.