Planos para 2016: ler um livro físico para cada e-book

Para 2016, eu não estabeleci nenhuma meta de quantos livros quero ler, mas decidi que a minha rotina de leitura se dividirá entre um livro físico e um e-book.

Em 2015 eu li 23 livros. De longe uma das minhas piores marcas como leitor assíduo. Desses, apenas dois foram físicos e os demais em formato digital.

Eu não tenho absolutamente nada contra nenhum dos dois formatos.

Sou um comprador compulsivo de livros. Não posso receber um e-mail com promoções que vou lá e encomendo pelo menos três. Isso fez com que eu acumulasse uma boa quantidade de livros na minha estante que não estão sendo lidos.

Ao mesmo tempo, as promoções de e-books também são bem atraentes e a minha biblioteca digital não para de crescer. Atualmente é bem maior que a física (e eu tenho mais de 150 livros).

Amo livros físicos, o cheiro, o peso, a textura das páginas e todos esses clichês saudosistas das pessoas velhas. Mas amo muito mais me deitar a noite com todas as luzes apagadas na companhia apenas da tela do meu e-reader e um cobertor quentinho esperando a chegada do sono. É só desligar a tela e pronto.

É muito mais prático, no meu caso, que não tenho uma mesa de cabeceira e uma luminária ao lado da cama.

Sem contar a facilidade com que você pode obter um e-book. Você compra e imediatamente ele aparece na sua biblioteca.

Também não vou ser hipócrita e dizer que não baixo nenhum. Sim, eu baixo livros. Sou culpado, mas tenho trabalhado para diminuir ao máximo essa situação.

A questão é que eu preciso ler os livros que já comprei. Estão lá acumulados e esquecidos na prateleira. Alguns deles inclusive ainda estão com o plástico protetor (o que ajuda a não acumular poeira).

Sendo assim, nesse ano que começa, vou ler um livro físico e um livro digital.

Não importa quanto tempo demore. Normalmente termino um e-book em 4 dias, lendo diariamente. E levo uns 10 dias para terminar um livro de papel.

Para me forçar a cumprir esse objetivo, voltei para um livro físico que havia começado a ler ainda no ano passado e não terminei pelos motivos descritos acima. Já estou quase terminando.

Para não acumular ainda mais, também darei uma pausa na minha compulsividade. Tentarei não comprar nenhum livro, exceto se a promoção for muito, muito boa mesmo. Do tipo inevitável.

Dessa forma, espero ler pelo menos o dobro do que li em 2015 e aliviar um bocado a quantidade de livros acumulados na minha estante. Acho um crime sem tamanho comprar um livro e não lê-lo.

É como comprar um piano de cauda pra deixar como decoração na sala de estar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rafael Barbosa’s story.