socorro

Ela diz pra mim que eu não posso. Que eu sou pouco. Que é mentira. Que nada vai dar certo. Que nunca vai dar certo. E a culpa é minha. Ela não me deixa ir, não me deixa andar. Só me faz parar. Só me faz cair. Eu não sei levantar. Eu não sei sair. Eu não sei tirar ela daqui. Eu não consigo fazer ela parar. É sufocante. É maior do que eu. Eu digo pra ela ir, ela fica, aperta, não deixa o ar entrar. Eu sei que ela não é tudo isso, mas ela me vence. Eu deixo ela vencer. Eu me afundo. Eu me perco. Meu coração acelera, não sei mais onde estou. Está escuro, só vejo lágrimas. Está escuro, não vejo saídas. Consigo ver o amor e todos os medos de perdê-lo nesse limbo em que me encontro. Eu vejo a gente desencontrado… O amor tem direção? Eu vejo um beco sem saída em mim. Ou seria um muro? De novo aquele muro. Que eu achei que tinha derrubado. Que eu achei que não existia mais. Mas faz parte de mim.

E agora?