Sobre final de semestre e equilíbrio na vida acadêmica

Todo semestre é a mesma coisa: textão reclamando sobre a sobrecarga que ocorre em todo final de período, porém essa sobrecarga não é algo pontual que só chega no fim, ela começou bem antes de você entrar na faculdade. Afinal existia em sua vida uma grande pressão social para mostrar para a família, pro pessoal da escola e para si mesmo que você conseguia ser aprovado no vestibular. Passada essa fase e com você já dentro da faculdade veio a pressão para manter o padrão da escola e ser aprovado em todas as disciplinas, imagina que vergonha reprovar uma disciplina e correr o risco de ter a previsão de formação adiada em pelo menos 6 meses?! tá louco! Semestre seguinte, para tentar recuperar o tempo perdido naquela tentativa frustrada, você puxa mais disciplinas do que conseguir lidar, tanto que não consegue nem lembrar o nome de todas sem consultar o site da faculdade.

Para conseguir a façanha de passar em todas você vai deixando de lado algumas coisas. Tempo para a família é um luxo. Cansado você toma café, lava o rosto e tenta em vão estudar, vê que não está rendendo por que as notificações não param no celular. Você desliga, rende um pouco, mas a abstinência da procrastinação dá sempre um jeito, não é mesmo? Aí vem aquela ideia do subconsciente de te dizer que você está com fome, afinal, você enfim começou a render e merece uma pausa como prêmio! Nessa pausa você liga o celular novamente para dar uma olhada nas redes sociais que sempre te salvaram daquelas aulas tediosas com slides de fundo branco e… lá se foram 2 horas! malditos memes e vídeos de stand-up! Mas fazer o que? seu corpo queria dopamina e você só deu um jeito.

Você olha para o relógio, percebe quanto tempo perdeu, que não rendeu nada e fica frustrado. Esse ciclo segue intercalando com raros picos de produtividade, advindos de um tempo que você trocou novamente, era o tempo para: o passeio do final de semana com a família, o rolê com os amigos, mas isso pode ficar para depois, afinal isso não é prioridade né?

Ao meio-fim do curso, depois de muita luta você consegue um estágio e agora não tem tanto tempo para estudar. Seus finais de semana são para colocar o sono em dia ou para aliviar a pressão acumulada ao longo da semana.

Enfim você entende o por que tenta gente bebe e sai religiosamente todo final de semana, afinal como elas fariam para aliviar a pressão?

Enfim chegam as férias e você se compromete a fazer tudo que deixou de lado, ler aquele livro que a semana de provas te forçou a interromper, treinar aquele idioma novo, voltar para academia para chegar com aquela barriga chapada no começo do semestre. Nas primeiras semanas você troca esses planos dormindo, recuperando física e mentalmente das horas não dormidas daquele semestre louco e fazendo planos para o semestre seguinte, mesmo sabendo que a maior parte você não vai cumprir, afinal você já está há alguns anos na faculdade e se conhece né?

Não prioridades

Você continua nesse ciclo e nos últimos períodos percebe que aquele veterano fodão que você admirava, aquele que passava em tudo, que não estava nos rolês, o crânio da turma, agora está buscando emprego há mais de um ano e ele poderia ter se cobrado menos, ter puxado mesmos matérias, ter passado mais tempo com a família, ter ido naquela festa no meio da semana, afinal se ele tiver sorte vocês vão ingressar no mercado praticamente juntos e se ao acaso calhar no mesmo cargo, na mesma empresa! Será que essa cobrança desmedida foi válida? De que vale afinal um profissional exausto com um diploma nas mãos, mas sem vida? O melhor jeito de se levar a vida é com equilíbrio. No próximo semestre puxe as disciplinas pensando em não deixar totalmente de lado as "não prioridades", pois nelas você pode acabar vivendo os melhores momentos de sua vida ;)

A sua saúde e bem-estar valem mais que um pedaço de papel timbrado e infelizmente você só vai perceber isso no final do curso.

O seu textão no Facebook reclamando não é mimimi, é reflexo de anos de um ciclo desequilibrado que te venderam como ideal e disseram que você tinha que seguir para ser feliz. Não se acanhe em soltar o verbo e dizer a pressão que está sentindo, você não está sozinho! E não se esqueça antes vale um textão do que um universitário se culpando por não seguir um padrão, que jamais deveria ser tomado com um, já que se você não tiver um estilo de vida específico como é esperado pela universidade, você com certeza terá uma dificuldade maior em se adaptar na universidade.

A faculdade não é adaptada às diversas realidades da nossa sociedade e força as pessoas a se adaptarem a uma forma de ensino comprovadamente ineficaz.

Espero com esse texto ter contribuído e te ajudado a refletir sobre o sistema acadêmico neste #setembroamarelo

Se quiser manter contato, pode me seguir no Medium, LinkedIn ou no facebook.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.