sobre muito.

2012 me libertou. cinco anos atrás, muita caipirinha e um namorado. um pouco de e-mail anonimo. um pouco de traição. cinco anos depois ele ainda é tudo que eu (acho que) tenho.

O mundo é nosso.

Ele é a primeira pessoa que eu penso na hora de acordar. Ele é a primeira pessoa na hora de contar sobre a exaustão do trabalho, o primeiro a entender que eu amo ser assim e me xinga e me abraça e diz que vai passar. Ele é a primeira pessoa que me lembra o quanto eu sou minha e o quanto eu posso ser do mundo ao mesmo tempo. Ele é o docs no drive com os filmes que a gente não viu. Ele é as compras no carrinho do aliexpress que a gente não finalizou. Ele é a calmaria no furacão. Ele é o caos do meu coração. Ele é o tarja preta jogado no chão.

É quem eu quero na segunda.

É quem eu quero no sábado e no domingo.

Hoje eu queria ser dele.

Ele queria ser de outra.