E nada mais

Eu não sei o que existe em você

Pra me deixar sempre a mercê

Desta grande ilusão

Que só afoga o meu coração

Por mim você podia ir

E assim deixar de existir

Fazendo que o meu amor

Pudesse ser de outra flor

Mas você sempre vem

Atropelando feito um trem

Toda a minha paz

Três meses se passaram

E so agora você veio

Logo então eu percebo

Que não sou eu que te desejo

E, sim, sou eu o teu anseio

Mas agora já é tarde

Não me incomoda teu alarde

Daqui pra frente só vais olhar

As minhas fotos e nada mais

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.