IoP, “Desuberizando” a economia compartilhada.

A economia compartilhada tornou-se o escudo de vários empresários que procuram conectar através de aplicativos fornecedores de produtos e serviços com seus clientes. Esse modelo de negócio se consagrou com serviços como Uber, AIrbnb entre outros; onde existe um bom produto ou serviço que após ser utilizado abre espaço para ser que outras pessoas usem sem a necessidade de adquiri-los definitivamente.

O Uber nasceu sob essa ideia (Serviço que utilizo bem mais do que táxis comuns)que inicialmente procurou por pessoas com tempo livre e um veículo disponível que pudessem ofertar um serviço de transporte privado que precisam ir de um ponto a outro. Inicialmente eu checava se esse perfil se encaixava; Hoje, os “motoristas” que oferecem esses serviços muitas vezes são empresários que compraram seus carros (pagam a outras pessoas para dirigir para eles) Dedicam todo seu tempo ao Uber nesse formato e me atrevo a dizer que a primeira geração de motorista desse serviço está de certa forma ameaçada por esse “empresários”.

Caso semelhante ocorreu com a Airbnb, a maior empresa de hospedagem que não possui um único quarto que evoluiu de forma semelhante ao Uber, que utiliza o mesmo conceito em alugar apartamentos ou quartos desocupados e sem uso uma industria onde as pessoa e empresas colocam apartamentos e casas a serviço de turistas que preferem pagar por isso ao invés de serem hospedes em um hotel. Nesses dois cenários, mais do que a venda dos serviços eles nos vendem uma experiencia.

No mundo do empreendedorismo é cada vez mais comum que nós escutemos que alguém “uberizou”algum tipo de serviço, entendendo como um bem de valor ou algum serviço subutilizado que alguém pode estar disposto a pagar por ele, uma vez que é possível obter vantagens com esse serviço sem a necessidade de compra-lo. Você irá pagar uma pequena quantia e acima de tudo terá uma boa experiencia ao utiliza-lo.

Recentemente eu ouvi que uma empresa “uberizou” vagas de estacionamento já existe, então se em algum área da cidade as pessoas que possuem vaga (dentro ou fora dos seus prédios) podem oferecer vagas temporárias as pessoa que precisam estacionar naquela área; claro que através de um aplicativo, que fornece serviços na nuvem que coletam nossos dados pessoais, bancários e criam um sistema feedback para qualificar os usuários e locais, etc. Se evolução do modelo de serviço do Uber seguir seu curso, em pouco tempo veremos estacionamentos privados migrando para essa plataforma e donos de terão a chance de integrar e disponibilizar essas vagas no aplicativo (Caso seja um bom investimento).

Para que esse modelo de economia “compartilhada” tenha sucesso necessitamos de alguém que possua um bem ou serviço oferecido, quem o consuma e alguém que desenvolva o aplicativo então podemos afirmar que e justo que a plataforma criada para esse fim fique com 20% a 30% das transações para recuperar o investimento inicial e ter lucro pelo fato de terem arriscado o seu dinheiro e tempo nesse tipo de empresa.

Existe uma proposta para essa economia compartilhada onde as transações são feitas diretamente entre quem tem quem tem o produto (ou serviço) e quem quer utilizar, e pode minimizar ou até mesmo eliminar o comissionamento nessas transações e beneficiar esse sistema econômico e ainda garantir a privacidade das pessoas protegendo seus dados pessoais e bancários.

A IOP (internet of People) é um serviço de infraestrutura que possibilita esse relacionamento de pessoa para pessoa diretamente para transações de negócio (P2P); é distribuída de forma descentralizada baseada em um sistema blockchain que permite que os dados pessoais permaneçam no dispositivo do usuário final. Onde existem servidores de perfis e proximidade que são responsáveis apenas por estabelecer a conexão entre os dois dispositivos.

Você também precisa de operações monetárias ?, nossa criptomoeda, a IOP, Permite realiza-las com toda segurança que a blockchain oferece e a baixas taxas que caracterizam as criptomoedas.

Tivemos alguns meses difíceis após a separação com o projeto Fermat estamos prontos para a visão do projeto Internet o people (IOP).

Você quer saber mais sobre nós ? Visite nosso novo site

http://iop.global/

Grandes coisas estão por vir.

Tradução do artigo 
https://medium.com/@juanmanuelcancinoprez/iop-de-uberizing-the-sharing-economy-938b586ac121