Gratidão enquanto há tempo

— “Sabe qual é a cama mais cara do mundo? A cama de um hospital.”

Apesar de não serem parte das últimas palavras de Steve Jobs ao contrário do que foi propagado pelas mídias sociais nos últimos dias, estas duas frases são muito marcantes. Não importa o quão poderoso um homem tenha sido, a morte é ainda mais poderosa.

Na minha opinião, sabe o que muda o sabor da vida? A gratidão. Gratidão é tudo e se deriva diretamente do amor fraterno. Gratidão a Deus, à vida, a poder levantar de sua cama todos os dias e correr atrás dos seus sonhos. Gratidão aos outros e às experiências vividas, sejam boas ou ruins. Afinal, todos temos a oportunidade de aprender com elas.

Gratidão é um sentimento de oportunidade. Você é quem decide, em uma fração de segundos, ser grato ou não. Compactuar com o seu ego ou se abrir para o outro e reconhecer que até as experiências ruins são válidas.

Algumas pessoas não conseguem ser gratas. “Ele não fez mais que sua obrigação” ou “eu sou responsável por aquilo que eu falo, não pelo que você entende” são frases que estão na ponta da nossa língua quando achamos que somos mais credores do que devedores neste mundo.

— “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor recíproco…”

Ser grato implica uma decisão. Não vou dizer que você não vá engolir algumas coisas que não merecia por aí. O mundo não é bão Sebastião. O que eu posso dizer é que o tempero amargo que a vida proporciona às vezes vai te tornar melhor, mais forte. Afinal, o que não te mata, te fortalece.

Vai chegar um momento onde não mais poderemos decidir. Somos ativistas e gostamos de ter a mão na massa e o controle da situação. O problema é que controlamos apenas uma parte do que sentimos, a outra parte é expontânea, reativa e quando menos esperamos nos descobrimos infelizes.

Minha esperança é que você se decida pela gratidão hoje. Eu já me decidi. Sou grato a tudo, independente do que vier e tenho tentado mesmo nos momentos onde parece que tudo está contra mim. Afinal, são momentos que trazem consigo a resiliência que me torna apto a viver o próximo dia.

— Vamos juntos?
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.