Por que você parou?

Jesus caminha por uma estrada. Está quente e o Sol forte castiga a paisagem. Há cerca de 50 metros ele vê uma pessoa sentada numa grande pedra à beira do caminho. É ela. Ela olha para o chão e seus pés, que não o alcançam, simplesmente balançam. Parecem perdidos. Estão como o seu olhar. Os braços ela mantém cruzados e o rosto abaixado.

Ele, que é Deus, continua caminhando em sua direção. Ela percebeu Sua presença e, rapidamente, passa as costas das mãos nos olhos, como se os secasse. Volta a olhar para o chão e, nervosamente, volta a balançar as pernas. Ele está cerca de dez metros distante e a chama.

- Oi, diz o Criador.

- Oi Senhor, responde a criatura, sem levantar os olhos.

- Que acontece? Por que você parou?

- Não sei dizer. Cansei. Aí simplesmente sentei… e parei.

Agora Ele está perto e apoia as costas na pedra. Ela não ousa levantar o rosto. Não ousa olhar para Ele. Ela sente como se não fosse capaz de responder qualquer simples pergunta que Ele fizesse.

Ele está olhando para frente, pega em sua mão e, bem baixinho, diz:

- Mas você sabe que não pode parar. Ainda tem muito pra caminhar, se parar agora vai acabar retrocedendo. Se parar agora, não terá mais o que contar.

Nesse momento a mão dela apertou a d’Ele mais forte.

- Eu sei. Mas é que está tão difícil. Acho que não consigo ir em frente, responde ela apertando os lábios. Eu sinto que não posso. Sinto que não consigo…

Nesse momento ela se lembra de todos os problemas e erros. De tudo que faz sua alma doer, de tudo que prova seu fracasso, de tudo que grita em sua mente querendo mostrar sua inutilidade. De fato, agora, ela não pode. Infiel e pecadora.

Por uns dois minutos Jesus só segura a sua mão. O silêncio é cortante, quase como se ela estivesse sozinha. Delicadamente Ele solta sua mão, dá alguns passos à frente e para no meio da estrada. Dá um assobio estridente, fazendo com que ela olhe para Ele que, calmamente, estende os braços. Deixa naquela posição de quando ele venceu o mundo e a morte. Ele sorri. Um sorriso puro e lindo como ela nunca viu antes. Ela sorri também. Abaixa a cabeça e algumas lágrimas escorrem de seu rosto. É incrível como Ele consegue, só com o olhar, tirar qualquer confissão. É incrível como esse sorriso consegue quebrantar o mais duro e indiferente coração.

Ela tenta secar as lágrimas, mas não consegue mais parar de chorar. É como se o sorriso d’Ele tivesse esmagado todo seu ser e a verdadeira “ela” escorresse para fora do corpo em forma de água salgada.

Jesus caminha em sua direção. Tão calmo como a brisa da manhã. Para na sua frente e simplesmente a abraça. Ela se deixa abraçar por Ele. Tenta dizer algo, mas é como se a sua voz tivesse sumido. A verdade é que as lágrimas falam o que palavra alguma consegue expressar.

- Eu sei que é difícil. Eu passei por isso.

Nesse momento ela lembra: Ele já esteve em sua pele. Ele sabe como é.

Aos poucos as lágrimas diminuem. Sua respiração, antes ofegante e desesperada, volta ao normal.

Ele se afasta poucos centímetros. Ela continua olhando para baixo. Ele coloca a mão em seu queixo e delicadamente o levanta fazendo com que seus olhos se encontrem.

- Mas fica em paz e tem bom ânimo. Eu venci. Você vai vencer também. Fica comigo.

Ela sorri, pela primeira vez em muito tempo. E com essas palavras, ela saiu do deserto. Ela voltou a caminhar.

João 16:33