A expectativa é a mãe da merda

Minha proposta aqui é abrir o coração para falar sobre um dia difícil, onde algumas expectativas minhas foram destruídas pela mão da boa e velha realidade. O que acontece é que eu sou um cara com um temperamento no mínimo inusitado, e sentir aquela paixão gostosa por alguém logo a primeira vista é algo mais raro que ver a passagem do cometa Halley. Por isto, quando acontece, eu costumo entrar em um estado de euforia e graça que acabam projetando e construindo os sonhos de toda uma vida sem ter a certeza que as chances são realmente reais.

O que aconteceu foi simples… A vida é feita de escolhas, algumas pessoas escolhem o futuro e algumas estão presas ao passado. O passado é seguro, o futuro é incerto. Eu era o incerto. Ninguém aposta no incerto quando o passado aconchegante chega morrendo de gracejos deixando a casa montada, prontinha pra você. À minha pessoa, só cabe aceitar, já que nada do que eu fale hoje vá realmente mudar o rumo das coisas.

Está achando isto covarde? Pode até ser, mas eu não tenho o direito de confundir a cabeça de alguém com meus sentimentos desordenados e prometer algo que nem eu sei se serei capaz de cumprir. Só sei que durante esta semana, meu coração foi invadido por um sentimento que me fez acreditar no amor verdadeiro, aquela coisa de filme de sessão da tarde, de final feliz, de reciprocidades, saca?

Eu estava morrendo de pressa pra ser feliz e fazer outra pessoa feliz. Pressa de olhar nos olhos e dizer que iria proteger, de segurar na mão e apertar bem forte pra não deixar o passo vacilar. Pressa de amar, mas não de amar depressa. Amar com calma, com jeito, com alma. Mas o amor não me escolheu, não desta vez e talvez não da próxima e nem da outra. Mas eu consegui sentir um gosto doce na boca, ainda que superficial que me deu a fome de querer um pouco mais e eu vou lhe confessar que não vou desistir enquanto não estiver completamente saciado.

Ainda que tenha por um instante me revoltado com Deus por permitir que eu chegasse tão próximo e me decepcionado eu me lembrei da quantidade de vezes que eu também deixei que os sonhos Dele pra minha vida morressem na praia, a deriva da minha preguiça ou indiferença. O que fica de lição é aquela máxima do evangelho: amar o próximo. E se o próximo não amar, ame o outro, mas não desista… Afinal, não existe força maior no mundo para transformar a vida de uma pessoa que o amor, então, deixamo-nos ser transformados por este sentimento agridoce e completamente tóxico.

Se você acha, que depois de ter escrito tudo isso eu consigo acreditar que as coisas vão dar certo, se enganou. Mas mesmo não acreditando hoje, fica mais fácil dividir o peso da dor amanhã e aos poucos ela vai ganhando distância e perdendo o foco. E a gente foca no trabalho, foca nos amigos e foca em Deus, que diferente de qualquer outro tipo de amor, é eterno, é constante e é inexplicável. Se Deus consegue me amar do jeito que eu sou, talvez um dia em alguma oração sua, Ele consiga te ensinar.

Rafael Lucas

Há 3 anos · 12 notas


Originally published at rafaellukasbm.tumblr.com.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rafael Lucas’s story.