Suas lágrimas irão secar e um dia você será livre pra voar.

Em seus sonho você costuma inventar motivos pra não deixar de amar e sentir isso te faz crer em dias cada vez melhores. A dor e a solidão te impulsionam cada vez mais, não é o bastante.

Você precisa confiar em você, dizem-lhe alguns, muitos deles nem sabem o que realmente se passa em seu mundo paralelo. Muitos aqui não enxergarão a sua verdade como você e talvez por isso você esteja cansado de tentar e tentar, tentar.

O fato é que o tempo passa cada vez mais rápido e você esta desacreditando ainda mais de você. Já não tem forças pra seguir e muito em breve, você pensa, desistir de tudo. Mais de uma opção.

Sua jornada nada calma por aqui te tem feito, me tem feito, ver que a vida não vale absolutamente nada. Nnhuma infima vontade de ser. Nem uma única vontade de estar aqui.

Amar dói e talvez por isso ser correspondido no mesmo seja algo tão difícil.

Buscar pessoas pra tentar entender você já deixou de ser sua prioridade.

Você pensa em ser logo um imortal.

Você pensa em breve viajar, conhecer as nuvens, e tem medo delas.

Tenta de todas as formas amenizar a dor e a ignorância do mundo. Tenta justificar, mas não pode. Não é sua culpa.

Sem exageros você está cada vez mais perto do fim da sua jornada por aqui e tenta desesperadamente ir. Ir o mais rápido possível. Tatuagens já não amenizam, o sangue a escorrer no peito já não ‘’sessa’’.

Não tem mais alma ou corpo. Jã não sente, não ouve, não vê.

Não vê nada além do seu próprio fim.

Um dia.

Dia 9.

Like what you read? Give Rafael Schoenberg a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.