Agassi, a língua do Becker e o poder do insight.

Tênis é sobre resolver problemas.

Palavra de Andre Agassi, Nº 1 da ATP, 8 títulos do Grand Slam, medalha de ouro nas olimpíadas e um dos melhores devolvedores de saques da história.

Mas, nos anos 90, ele se deparou com um novo tipo de problema.

Seu nome era Boris Becker.

O saque do alemão simplesmente desequilibrava as partidas.

Tanto que nas primeiras três vezes que se enfrentaram, Agassi perdeu todas.

Ele ficou obcecado. Tinha que achar um jeito de ganhar.

Começou a rever todos os jogos. Analisou cada lance. Acompanhou cada passo do adversário. Postura. Movimento das mãos. Dos pés. Da língua.

Língua? Sim, você leu certo. Depois de horas assistindo os jogos, Agassi notou um pequeno tique no seu adversário. Ele botava a língua para fora antes de sacar. E adivinha? Ela apontava a direção onde a bola seria lançada.

Dos 11 jogos seguintes, Agassi ganhou 10.

A partir deste momento, a parte mais difícil não era rebater a bola. Mas fazer isso sem que Becker soubesse que ele tinha decifrado o código.

Corta para uma sala de reunião.

Propaganda, assim como o tênis, também é sobre resolver problemas.

Pode ser um lançamento, um reposicionamento, uma promoção ou como vencer um adversário que apareceu com alguma coisa tão poderosa quanto um saque do Boris Becker.

Nessa hora, ter acesso aos dados é importante . Mas ter um insight é imprescindível. Porque a lógica leva você do ponto A para o B. Mas a imaginação pode levar você para qualquer lugar.

Achar uma abordagem nova, ver o que ninguém tinha visto, descobrir o óbvio antes dele se tornar óbvio. Não é fácil. Não é simples. Não depende apenas de ter a informação. Mas é o que que vai continuar fazendo toda a diferença. Pode ser no tênis, na comunicação ou na vida.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.