Um novo caminho na minha carreira

Rafael Moura
10 min readMar 28, 2023

Um novo rumo, uma mudança de trilho do trem que seguia em uma direção específica. Em 2021 decidi mudar minha carreira de Desenvolvedor para Gestão de Pessoas Desenvolvedoras. Vou contar um pouco do começo da minha carreira e quando decidi virar essa chave.

Caminhos distintos de uma estrada.

Desde minha adolescência sempre fui uma pessoa apaixonada por computadores. Acho que teve um pouco da influência do meu pai, que uma vez chegou com um Pentium 133 em casa, Windows 95 instalado e alguns joguinhos em CD e disket. Apesar daquela coisa ser uma grande novidade e eu ter sido uma criança que ficava muito mais na rua brincando com os amigos, jogando taco, perdendo a sola do dedão no futebol e aprontando com os vizinhos, eu dedicava um pouco do meu tempo naquele mundo do computador. Fui crescendo e aí veio a internet discada, pulso único, sabadão depois das 14hrs ou de madrugada durante a semana. E mais e mais eu estava envolvido, descobrindo e fuçando desde o win95, passando pelo 98, ME, XP… Daí veio a grande novidade: Linux! Tinha cursinho de Linux em todo lugar! A programação veio aos poucos, naquelas criações de jogos pelo RPG Maker que sempre tinha algum script para criar, naquele site .hpg que desenvolvíamos alguns ‘html’, e aí fui dando os primeiros passos como um “webdesigner”, que achava que sabia muito, mas que na verdade não sabia lá muita coisa. Nesse caminho decidi fuçar mais na parte de Hardware. Fiz curso de Montagem e manutenção de microcomputadores e tentei de tudo para entrar na área. Mas, como precisava trabalhar para pagar a faculdade, trabalhei como atendente de loja, caixa de loja, suporte ao cliente e, depois cheguei mais próximo da área, atuando no suporte técnico de uma empresa. Entre 2010 e 2011 consegui focar no que eu queria para minha vida, para minha carreira, e tive minha primeira oportunidade como Desenvolvedor de Software.

Nessa altura do campeonato, eu estava cursando Análise e Desenvolvimento de Sistemas e na faculdade não tinha vivência na linguagem ao qual eu tive minha primeira oportunidade, o C# ! Precisei me virar para estudar por conta (tive muita ajuda dos colegas da empresa, como professores) também paguei cursos de .NET, C# e orientação a objetos.

Eu estava decidido e “fui pras cabeças”! Eu precisava codar, mas também precisava saber o que estava fazendo, não queria ser somente um digitador de código!

Precisamos começar!

Estar dentro de uma empresa faz a gente evoluir muito! Aprender na prática é demais! Precisamos de empresas que possam dar essa oportunidade para as pessoas que estão começando. Eu consegui, apesar que não tão cedo, uma oportunidade para iniciar como Desenvolvedor.

Entendi também que possivelmente não vamos ficar nessa empresa para sempre. É até bom! Não estou dizendo para você sempre pular de empresa em empresa, mas, quando começamos, é legal conhecer novas empresas, novas pessoas, novas culturas. Cada empresa tem suas particularidades e que vai agregar MUITO em sua carreira.

Dê o start na sua carreira!

Trajetória como Desenvolvedor

Quando iniciamos esse “Game”, passamos por várias fases. Cada ano que passa temos novidades para absorver, é muito conhecimento que temos que digerir. Evoluir sua carreira de Júnior para Sênior requer um bom tempo de aprendizagem. Tecnicamente temos que estar sempre evoluindo. Não vou entrar em muitos detalhes, mas eu acredito muito que, atualmente, um Desenvolvedor precisa saber de ponta a ponta pelo menos um tiquinho para poder se virar. Rodar uma aplicação local, saber publicar ela em um ambiente de testes, saber publicar em um ambiente de produção, ter o código limpo e com qualidade, em uma arquitetura bacana, para que seu ‘eu’ do futuro não sofra tanto com a manutenção e pensar que outras pessoas vão fazer essa manutenção no seu presente. Se preocupar com Cloud, testes, base de dados, performance (e por aí vai), virou rotina de uma pessoa Desenvolvedora. Saber bem uma linguagem, mas conhecer outras. Falando um pouco da minha experiência, comecei com C#, fui para Java, Kotlin, python e atualmente, a tecnologia core da empresa que estou é Javascript e Typescript. Conhecer diversos frameworks, backend e/ou frontend vão fazer parte da sua rotina também.

Foram alguns anos, até eu chegar no ano que comentei no começo do post. Foram anos evoluindo tecnicamente. Foram anos estudando e entendendo processos, cultura, metodologias. E, as vezes, a gente acaba esquecendo de falar alguns pontos importantes, que faz com que a gente seja diferente de máquinas, de robôs. Você deve saber do que estou falando…

Um filme bacana: “Eu, robô”

Soft Skill

Foi aí que percebi que o lado “Pessoas” estava mais presente em mim do que o lado “codar, codar e codar”. Quando me tornei Sênior, ajudar as pessoas mais Juniors não era uma obrigação para mim e sim algo natural. Mentorar outras pessoas era algo que eu adorava.

Saber um pouco mais de processos e de como usar as melhores ferramentas para podermos desenvolver softwares, começou a ser algo que me despertava muita curiosidade e prazer.

Foi aí que comecei a perceber que, quando eu precisava puxar o time para tentarmos corrigir um problema em produção, também existia a parte do “vamos resolver juntos” e não o “deixa que eu resolvo”. A dinâmica de ser a pessoa que vai puxar o time, que vai fazer de tudo para o time estar feliz e satisfeito, que vai acompanhar e ver a evolução daquelas pessoas mais junior, que vai estar ali a frente da “linha de batalha” falando mais com o cliente final, começou a ser mais importante para mim.

Essa chavinha não vira de uma hora para outra. Mas chega uma hora que começamos a refletir e pensamos o que faz mais sentido para o nosso momento atual.

Sou Tech Leader?

Ser uma pessoa com o perfil de liderança técnica pode ser algo que você possa construir junto ao seu Gestor, com um plano de desenvolvimento individual e mentoria. Algumas vezes, esse perfil acaba saindo naturalmente. Confesso que tive bons mentores, mas antes mesmo de trabalhar minhas skills para me tornar um Tech Leader, eu já atuava como um Tech Leader.

Liderança técnica é estar presente na construção do produto. Arquiteturar, desenhar e desenvolver faz parte. Mas você vai começar a entender melhor o conjunto da obra. Vai começar a entender a importância de delegar algumas demandas. Vai entender que é importante conhecer outros sistemas, estar próximos de outros times. Saber que você não vai usar 100% do seu tempo de trabalho em ficar ali no seu vscode. Você vai começar a entender um pouco mais de pessoas, vai começar a olhar com mais frequência Pull Requests e revisá-los. Você vai começar a se preocupar mais com a esteira de desenvolvimento, com os apps/serviços em produção. O coração vai palpitar mais com aqueles reports de incidentes em produção do que quando você ficava travado em alguma linha de código.

Você vai precisar desenvolver um lado que, acredite, pode ser bem tenso no começo, mas você vai precisar muito dar e saber receber feedbacks! A parte de dar um feedback, vai ser muito importante na sua rotina. Na maioria das organizações, um Tech Leader precisa ajudar o coordenador, com feedbacks mais técnicos para o liderado. Ele também precisa dar feedbacks para o seu gestor direto, que geralmente é o Tech Manager.

Você provavelmente vai estar envolvido na construção de planos de carreira dos liderados. E aí que entra uma outra estrada, um novo caminho. O caminho de coordenar pessoas.

Seja um líder, esqueça esse negócio de ‘chefe’.

Lidere pessoas e esteja pronto para estar na camada estratégica. A virada para Tech Manager.

É aqui que temos uma grande virada. Um novo caminho da estrada vai ser seguido.

Nesse ponto, você vai precisar esquecer um pouco o vscode. Mas não vai largar ele não, fique tranquilo :)

Os grandes pilares, que você irá precisar dar uma atenção maior, são as pessoas, os sistemas (apps / softwares) e o produto.

Aqui, com certeza, você vai precisar estudar bastante. E aí vem aquele ponto que comentei, um diferencial pode ser sua passagem por algumas empresas. Poder vivenciar e conhecer pessoas, processos e como fazem software em mais de uma empresa é um passo importante para você ser um Tech Manager. Mas vamos falar um pouco mais dos pilares que citei, de trás para frente.

Produto

Esteja preparado. Você vai estar diretamente ligado com o Product Manager (ou Product Owner), ele vai ser seu par e vocês vão construir juntos o Roadmap, definir KPIs e atuar em conjunto nos processos das Squads. É claro que as definições do Produto vão passar primeiro pelo time de Produto, tendo o Product Manager e o Product Designer como pontos focais, mas com certeza eles vão te puxar em diversos momentos e se não estão fazendo isso, converse com eles, você precisa saber sobre o Produto.

É aqui que eu preciso comentar que você vai estar em calls, reuniões de definições e sua agenda vai começar a ficar mais apertada. Mas acredite, você vai saber se organizar. O tempo ajuda! Evite calls desnecessárias e tente usar ferramentas de comunicação ao seu favor. Comunicação assíncrona salva bastante!

O produto precisa agregar valor, você faz parte disso.

Softwares

Por mais que agora você esteja olhando para outras pontas. Você precisa garantir que a construção e a manutenção dos sistemas estejam sendo feitas com excelência. Acompanhamento dos softwares em produção, entendimento técnico e como agir caso algo dê errado, ainda faz parte do seu dia-a-dia. Lembre-se que pra chegar aqui, você trilhou um caminho como Desenvolvedor. As tomadas de decisões devem passar pelos Devs, mas você estará lá, liderando.

Você provavelmente irá construir times de Desenvolvedores. E, principalmente, irá conhecer seus pontos fortes, para que eles construam Softwares com qualidade e confiáveis.

O Software será construído por… Pessoas!

Pessoas

Aqui está o pilar mais importante para mim. Pessoas são a base de toda construção de softwares que vão fazer parte dos produtos. Então, deixei esse pilar por último de forma proposital. Os outros pilares que comentei, são consequências desse pilar.

Me preocupo bastante com as pessoas. No dia-a-dia, precisamos entender como elas estão, para que assim possam desenvolver suas tarefas de uma forma saudável.

Gosto de fazer 1:1 e estar próximo das pessoas do time. Conhecer a história de cada um, do caminho que percorreram para chegar até ali. Entender seus pontos fortes e fracos. Tentar ajudar de alguma maneira a evolução da sua carreira e além disso ajudar no seu momento pessoal.

Precisamos ter empatia!

As pedras no caminho vão existir

Aquela foto de estrada que coloquei no começo do post parece estar perfeita, não é mesmo? :)

Mas alguns buracos e pedras vão existir.

A responsabilidade vai ser grande. Você precisa garantir a entrega de um produto, você precisa garantir um software escalável e com qualidade. E, principalmente, você precisa garantir um ambiente saudável, com pessoas felizes.

Vai ter dia que você não estará bem. Todos temos nossos problemas pessoais, problemas de saúde e precisamos buscar motivações para manter o foco. As vezes vamos precisar ficar um pouco off e se recuperar para poder estar 100% para o seu time.

Precisamos dar feedbacks, e não estou falando de elogios. Precisamos dar feedbacks construtivos. Precisamos estar prontos para dar feedbacks mais duros. E precisamos direcionar, acompanhar e traçar um plano de desenvolvimento para cada pessoa do seu time.

Esteja preparado. Leia bastante e busque bastante conhecimento com outros líderes!

Chegamos ao nosso destino?

Eu tenho certeza que a cada dia que passa muita coisa muda em minha vida. Tenho buscado evoluir bastante como uma pessoa gestora. Cursos e livros vão ser frequentes enquanto eu estiver nesse caminho, mas o melhor aprendizado é o dia-a-dia, é a prática!

Preciso entender que é necessário que eu evolua, mas o que faz isso acontecer é poder participar da evolução de outra pessoa. É poder dar poderes de tomada de decisão para as pessoas desenvolvedoras do seu time.

O destino final do post chega aqui. Mas foi uma jornada com diversas pontas para contar em outros posts.

Deix, ao final do post, um pouco do que já li e cursei durante essa transição de Dev para Gestão de Pessoas.

E, para não ficar grande essa leitura (err, acho que já ficou, rs), gostaria de falar mais detalhadamente sobre como atuo hoje, como Tech Manager.

Prometo vir com esse post em breve ;)

E, por fim, espero ter inspirado alguém, que esteja nesse caminho maravilhoso como Pessoa Desenvolvedora ou na transição de carreira para Liderança de Pessoas.

--

--

Rafael Moura

Dev • companheiro de breja • fazedor de barulho no violão • more: https://rafaelmoura.dev