O meu último adeus nos teu aniversário de 58 anos

São 58 anos. Mais que o dobro do que eu tenho de vida. Pode ser a respeito de qualquer grande Gremista. Mas hoje, quero falar um pouco sobre o aniversariante do dia: O Olímpico Monumental. Há 58 anos vivíamos a mesma insegurança de agora. Deixávamos o Moinhos de Vento para ir para a distante localidade que viria a se tornar o bairro da Azenha. E hoje, estamos prestes a deixar a Azenha para ir para o distante Humaitá.

A única verdade disso tudo é que o velho Monumental seguirá existindo, seguirá respirando na memória e na alma de todos que vivenciaram sua existência. Especialmente em mim. Este verdadeiro templo do futebol me faz acreditar que tudo é possível. Nunca devemos desistir, e sempre ir atrás daquilo que desejamos.

Viver, reverenciar, agradecer, assistir, sofrer, rir, amar, torcer, vibrar, e enfim comemorar. Isso é o Olímpico. Isso é o Grêmio. Isso é minha paixão.

Obrigado Olímpico por ser Monumental na vida de um clube que tanto amo e que nunca deixará de lembrar, com muito saudosismo, um grande sorriso e extremamente grato, a todas as conquistas que tu proporcionaste.

Parabéns Olímpico Monumetal, obrigado por tudo que tu me deste. E tenha certeza que tu, sem dúvida alguma, me tornou ainda mais Gremista.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.