AMOR COM AMOR SE PAGA

Depois da tragédia do último mês de novembro com a queda do avião que vitimou praticamente toda equipe de futebol da Chapecoense, comissão técnica, jornalistas e tripulantes, nas cercanias de Medellin, na Colômbia, o mundo inteiro assistiu a maior lição de amor e solidariedade proporcionado pelo povo vizinho, num momento em que o egoísmo e o individualismo se consolidavam como marca e referência nas relações do dia-a-dia de toda humanidade.

E como um insólito corolário dessa tragédia, a equipe do Atlético Nacional de Medellin, então a adversária da Chapecoense no jogo de ida válido para a decisão da Copa Sul Americana e não realizado em razão da terrível tragédia, na sua condição de último campeão da Libertadores da América e candidato ao título da Copa Sul Americana, em total solidariedade, renunciou a esse título como última homenagem ao time brasileiro.

Transcorridos pouco mais de quatro meses após a tragédia, após uma linda festa de homenagens e agradecimentos à equipe e ao povo colombiano, as duas equipes voltaram ontem a se enfrentar em Chapecó para definir o vencedor da Recopa, torneio disputado tradicionalmente entre os campeões da Libertadores da América e da Sul Americana, que terminou com a vitória parcial da equipe brasileira.

Marcado para o próximo mês de maio, em Medellin, o jogo de volta deverá definir o novo campeão da Recopa. Porém, entendo que esse fato reveste-se de uma oportunidade única para que a equipe da Chapecoense retribua ao Atlético Nacional e a toda Colômbia, o grande gesto amor e solidariedade por eles empenhados após a tragédia com a sua equipe.

Um gesto de magnitude moral, de desprendimento e fairplay esportivo histórico, poderia ser adotado pela equipe da Chapecoense, caso ela, a exemplo do Atlético Nacional, renunciasse ao título da Recopa a favor do time colombiano.

A consequência de uma decisão como essa, mais do que apenas retribuir na mesma moeda o gesto de grandeza por eles empenhado, certamente teria um sabor e um significado ainda maior em razão de todos os times colombianos jamais terem conquistado esse tão cobiçado título.