Porto Alegre de bico

Pela primeira vez em sua história Porto Alegre será governada por um tucano. Nelson Marchezan Júnior(PSDB) se sagrou vencedor no segundo turno da eleição municipal da capital gaúcha.

Com 402.165 mil votos(60,50%) o filho do falecido deputado Nelson Marchezan assumirá a prefeitura em 1 de Janeiro de 2017. A situação formada pela coligação PMDB/PDT,que detêm o poder há 12 anos na capital, alcançou 262.601 votos(39,50) na pessoa do candidato Sebastião Melo(PMDB).

O atual vice-prefeito Melo sofreu com a grande rejeição da população porto-alegrense sobre os últimos resultados da gestão Fogaça-Fortunati. Até ano passado membro do governo, o PSDB surfou no cenário político atual e com uma coligação com o PP, PTB de Maurício Dziedricki e apoio do MBL e do movimento “Vem pra Rua”, chegou ao máximo cargo municipal.

O PSDB gaúcho conhecido nacionalmente como quase “inexistente” teve na persona de Marchezan, mal relacionada com ex governadora Yeda Crusius, a escolha correta. Ao contrário do partido, o deputado mesmo que negue se aproxima de algumas pautas ditas “de direita”, como visão positiva das privatizações e enfrentamento a sindicatos e servidores públicos.

Porto Alegre assim como o estado do Rio Grande do Sul vive dias infelizes. Criminalidade grandiosa, contas públicas reduzidas e falta de investimento assolam a antiga potência conhecida até como a “capital do Mercosul”.

O povo porto-alegrense repetiu um fenômeno nacional ao atingir números de abstenção elevadíssimos, cerca de 25%. Mas o fato é que Marchezan foi o vencedor. Obteve vitória em todos bairros da cidade, até nos mais carentes.

Os tucanos que cada vez mais ganham eleições depois dos acontecimentos políticos do país, agora bicam Porto Alegre. Nelson terá grandes desafios a enfrentar, mas se conseguir por em prática seu discurso de campanha e alcançar pleitos e apoio da Câmara de Vereadores, é capaz de melhorar os índices alarmantes da capital gaúcha.

(Foto: Itamar Miranda/Estadão Conteúdo/Arquivo)
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.