VC SABE COMO FUNCIONA A NOTA FISCAL PAULISTA?

Disse-me um moço no balcão de espera do ‪Habib’s‬.
Eu já tinha reparado nele porque ele pediu logo antes de mim.
Na verdade, reparei porque ele parecia mais velho que eu, e chamou o moço do balcão de “moço”.
Achei estranho. 
Embora eu faça o mesmo.

Continuando.

Do nada ele me pergunta isso com uma entonação de “quer ver um truque de mágica?”
Fui educado e simpático (adoro esse personagem) e me fiz interessado.
Ele me explicou empolgado, deixando claro até os procedimentos de cadastro e tudo mais.
Explicou os benefícios melhor do que uma testemunha de Jeová.
Ou uma revendedora Jequití.
Foram muitas falas contrastando com meu desânimo.

“Por que você tá tão animado com roupa de trabalho, suado, às sete da noite no Habib’s?”
Pensei.
“Poxa… Que aula, hein.”
Falei.

Ele continuou.
Emendou num assunto que não lembro e disse que trabalhava numa pizzaria ali perto.
Disse que inaugurava amanhã, que estariam servindo até champagne e me convidou.
Cheguei a ficar animado.
De graça até injeção na testa.
Ou discutir com Bolsominion.
Ele falava e falava enquanto esperávamos nossos Chicken Crispies pra viagem.
Eu 1, ele 3.

“Todo animado e falante… Ué, será que tá dando em cima de mim?”
Pensei.
“Você tá com cara de que mora aqui há pouco tempo.”
Falei.

Ele olhou no relógio e disse que fazia um mês e 4 dias.
Percebi porque ele tava com a mesma alegria que eu há dois anos e meio.
Depois de mais umas conversas o pedido dele chegou.
Colocou tudo numa sacola só e deixou outra pra trás.

“Ei, não vai esquecer”, falei apontando pra sacola abandonada.

“Tá vazia rs. Não sou homem-bomba”

“Tchau”
Falei.
“Isso é exatamente o que um homem-bomba diria”
Pensei.

Saí correndo.
E mesmo que tudo explodisse e eu morresse, minha autópsia daria morte por excesso de sódio e gordura saturada.