Ler ouvindo: https://www.youtube.com/watch?v=kxVUee4WsoA

Quando eu olhava para o futuro, tentando não me afogar no mar de lágrimas que eu criava enquanto me perdia na imensidão de pensamentos e acontecimentos era você quem me servia de porto seguro. E você sequer sabia que eu tinha você assim, como meu anjo. As vezes que te afastei era porque não queria causar a você a dor que tanto me afligia e paralisava os sentidos. Naquele momento eu era incapaz de amar, não conseguia sentir mais nada além da sensação de estar perdida. E quando adormecia era você que eu ia encontrar, antes de dormir pedia todas as noites para que Deus te cuidasse já que eu nem de mim era capaz de cuidar. Na minha lista de coisas pelas quais lutar, você era uma das primeiras. Sei que talvez as coisas teriam sido e seriam mais fáceis se tivesse ao menos tentado te explicar o quão fundo estava o oceano no qual me afogava. Te forcei a ir para longe mesmo quando nenhum dos dois queriam isso, mas eu só conseguia pensar na minha dor. Tinha tanta certeza de que ficaria bem que preferi não compartilhar minha insanidade. Quando consegui me salvar por conta própria, eu tinha te magoado de uma maneira tão profunda que você não podia mais confiar em mim, e as vezes me pergunto se um dia confiará novamente que não vou te machucar. Sei que é difícil acreditar quando se foi tão profundamente magoado, mas já ouviu aquela frase: as pessoas só podem dar aquilo que tem? Hoje só tenho amor, só que num passado bem recente eu não tinha nada para compartilhar. E meu vazio era tão grande que não queria que ninguém visse tamanha escuridão. Você desistiria de todas as coisas que vivemos e sentimos em tão pouco tempo? Lembro de cada detalhe banal dos dias que passamos juntos, não sei explicar o que foi aquilo. Talvez um reencontro de almas? Quem sabe… existe uma lenda oriental que diz que os deuses amarram uma linha vermelha invisível na hora do nascimento, no tornozelo do casal que são almas gêmeas. Pode passar o tempo que for, e quaisquer que sejam as brincadeiras e adversidades do destino essas duas pessoas se encontrarão. Uma linha que pode enrolar, dar nó, esticar, mas nunca se romper. Quando paro e penso em nós, sinto que é algo assim que nos une. Um destino lindo, porque não existe explicação para as coisas que nos uniram, para os sentimentos que existem. Ultimamente tem sido bem complicado me prender a essa possibilidade, mas aí então penso nos emaranhados e voltas que o mundo dá. E me pergunto: quão injusto é o nosso acaso encontramos algo tão verdadeiro e que está fora de alcance? Mas se te encontrei, terei coragem de deixá-lo ir? Anjos sempre vem e deixam algo de muito bom, então não… com certeza não… e te peço para que não desista de mim!

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.