Ipiranga Noir


Rua Loefgreen

Nomes de ruas, estátuas, monumentos e parques Do Ipiranga carregam fragmentos da história do Brasil e, principalmente, de sua Independência. Esses fragmentos agem como fantasmas do passado que, de certa forma, assombram e se fixam na vida de moradores, trabalhadores e visitantes do bairro. O passado e o presente do bairro se contrapõem constantemente no Ipiranga mas esses detalhes acabam caindo no ostracismo.

Rua Silva Bueno
Rua Bom Pastor

Essas fotografias tentam entender como essa contraposição se articula no bairro. A narrativa por trás dessas fotos enviadas e das que serão fotografadas é de que existe uma dialética no bairro do Ipiranga que se apresenta a partir da história que ele conta sobre a História do Brasil, as promessas que vinham com essa História, e com o presente do bairro.

Rua Bom Pastor
Estátua localizada no Museu do Ipiranga

O Ipiranga, na verdade, não é apenas um bairro histórico. É uma lembrança constante do que o Brasil poderia ter sido e o que ele é — seja isso bom ou ruim. Mais do que um registro factual do bairro, eu tentei, através dessas fotos, observar e questionar os detalhes desse encontro do passado e do presente.

Pista de cooper Vinício Stancati
Banco no jardim do Museu do Ipiranga
Estátua localizada no Parque da Independência
Estátua localizada no Parque da Independência
Chama que fica constantemente acesa no Parque da Independência
Estátua de um índio no Parque da Independência
Pista de cooper Vinício Stancati

@rsmrsrn