COMO A SÉRIE SENSE8 PODE TE AJUDAR PROFISSIONALMENTE?

A série original do Netflix tem sido aclamada pela crítica e gerado polêmica por suas cenas de sexo, gêneros e tudo mais. Bem, eu não vim falar sobre essa parte, quem me conhece sabe que sempre procuro o lado positivo das coisas em minha vida, com filmes e séries não seria diferente já escrevi sobre filmes para ajudar sua vida profissional, sobre personagens e por ai vai. Bem, resolvi escrever sobre a série, primeiro; trata-se de uma experiência muito empolgante, a série te prende muito, eu adoro quando os fatos estão entrelaçados e realmente o autor sabe me fazer pensar, me prende e me surpreende, o roteiro é admirável, meu conselho é assista que seja para criticar com consistência, acredito que possuímos visões diferentes e todas elas podem ser aproveitadas de maneira positiva.

Vamos ao que nos interessa nesse título, como a série pode te ajudar profissionalmente.

Temos 5 pontos que avaliei:

– Cada um possui habilidades únicas

Temos 8 personagens principais que estão interligados, são pessoas sensitivas, elas podem estar no “lugar do outro”, no local onde o outro está, todos possuem suas vidas normais, em lugares distintos pelo mundo, temos um ator, um policial, uma dj, uma hacker, um ladrão, um motorista, uma química, uma administradora, o que é mais interessante dos personagens na minha opinião eles são muito ‘estereotipados’ e provam essas habilidades, surpreendem e dão um show de “cala a boca” pra várias discussões da sociedade. Bom as habilidades únicas aqui que desejo mencionar e me apegar é a seguinte, em cada episódio desenrolado eles passam por situações das quais precisam lutar e fugir, o sucesso só é alcançado por conta de cada habilidade única, nos últimos episódios principalmente onde eles estão mais unidos, cada habilidade é utilizada em prol de um objetivo final como em um game.

A minha reflexão profissional para você nesse momento é quando estamos e trabalhamos em equipe com o mesmo objetivo cada um tem seu papel importante e faz parte do todo, em um jogo de futebol, por exemplo, temos um time que possui um objetivo fazer um maior número de gols sobre o adversário, porém se os 11 jogadores em campo forem atacantes a possibilidade desse objetivo ser atingido é menor, precisamos não só de atacantes, mas de zagueiros, volantes, goleiro, meia, fora a estratégia sistema 4–4–2 e etc, ou seja “nem só de atacante viverá o futebol” (inventei agora rs), se faz necessário que o todo trabalhe em prol do objetivo e cada um faça seu trabalho particular.

Assim como o corpo, por acaso as pernas, são mais importantes que os braços? Ou cabeça, ou partes internas como o pulmão, coração, rins, o corpo para ser saudável e funcionar perfeitamente precisa que todas as partes funcionem, todos possuem funções importantes, porém diferentes.

Assim também funciona em empresas, sua vida profissional, sua carreira, cada um possui um papel importante, para uma organização funcionar cito aqui um artigo de um amigo sobre os departamentos de uma agência ¹, todos os departamentos são importantes, tudo o que você faz tem importância, desde quem faz o café, o motorista que te leva rapidinho pra reunião que você está atrasado, ao CEO que teve a ideia revolucionária, todos sem exceção, possui habilidades, dons, precisamos uns dos outros para que o todo funcione, o financeiro da empresa é tão importante quanto o departamento de vendas, todos possui seu valor e a habilidade específica para que tudo caminhe perfeitamente assim como o corpo, o time de futebol ou a série Sense8.

– Pedir ajuda não é feio

Sim muitas vezes se faz necessário, eu mesma era uma pessoa que tinha certo receio em pedir ajudar, pois sempre fui ensinada a ser autossuficiente em tudo, entretanto como vimos no ponto anterior, cada um é bom em um tipo de habilidade, aprendi na vida que não sabemos e não somos obrigados a saber de tudo, você pode ter lido essa parte agora e pensado consigo, poxa, mas disso eu sei, muitas vezes estamos cansados de saber e ouvir as coisas, porém não vivenciamos por algum motivo específico, eu te convido a refletir, quando você sabe você realmente possui a humildade de pedir ajuda?! E você ajuda o outro também, quando podemos confiar no outro, aprender com o outro, o fardo fica mais leve, o serviço fica melhor, você aprende mais.

Já passei por casos em empresas que as pessoas tinham medo de pedir ajudar e acabava fazendo errado ou atrasando o job, simplesmente por orgulho, por achar que o outro ia caçoar, achar ‘burrice’, ou algo do tipo, o mal do ser humano quando evoluímos, somos graduados, pós-graduados, MBA no estrangeiro e etc, é achar que somos os reis da sabedoria e não podemos perguntar quando não sabemos, já ouviu aquela frase “você deveria saber! Como você não sabe?” é difícil essa pressão por algumas pessoas, mas eu te digo com plena certeza, não tenha medo de pedir ajuda, não é feio, não dói e você só tem a ganhar!

– Todos tem algo a ensinar

Companheirismo é uma boa resposta, cada um possui um dom, habilidade e algo a ensinar, o último episódio da série, mostra isso claramente, calma sem spoiler.

Certa vez fiz uma trilha para escalar a pedra do cume em Extrema Minas Gerais, durante o percurso o cadarço do meu tênis fica desamarrando a cada 5 minutos, na minha mente normal o cadarço está frouxo, isso acontece, não altera muito meu desempenho, porém a guia me disse:

– Seu cadarço está desamarrando muito?

Eu disse: — Sim, está. Sempre acontece.

Ela por sua vez se abaixou do meu lado e disse amarre ele no sentido contrário do que costuma fazer, para que ele fique reto, ela amarrou meu cadarço! Após isso meu cadarço só desamarrou quando voltei após 6 horas de trilha e escalada.

O que quero refletir com isso, é a minha tamanha gratidão por aquilo, primeiro que a gentileza dela me ensinar, se colocar em meu lugar de parando a cada 5 minutos, depois parei para pensar que eu poderia escorregar, me machucar e N coisas mais, a humildade de se abaixar e amarrar o cadarço de uma desconhecida, de me ensinar uma coisa simples e boba até não é mesmo, atualmente tenho 25 anos, quando aprendemos amarrar os tênis sozinhos? Com 5, 6, 7 anos.

Trazemos isso para o lado profissional, os mais velhos ou mais novos têm muito a nos ensinar, que seja um novo app, uma nova função no photoshop, uma nova forma de design, um estilo antigo que faz todo sentido para que freela, ou seja não perca as oportunidades e também não deixe de ensinar algo que seja besta como “amarrar o cadarço” pro outro, muitas vezes aquilo é o que vai mudar e otimizar todo o percurso.

– Tenha uma boa estratégia

Uma vez eu escutei em uma reunião de marketing na produtora que trabalhava que nunca podemos ir à luta sem estratégia, filmes como Tropa de Elite, O poderoso chefão, fala bem sobre isso, a estratégia faz parte de um plano maior para que alcancemos o objetivo.

Em Sense8 as estratégias são calculadas e recalculadas quando algo sai do controle, isso deve ser um dos nossos mantras, o que vejo que às vezes falta nas pessoas é a questão de se reinventar, ter um plano B, na hora que o plano A deu errado. Muitas pessoas querem mudar de emprego sem se esforçarem, como num passe de mágica e infelizmente nunca vi isso acontecer, pelo menos comigo nunca aconteceu.

Traçar uma estratégia é importantíssimo, saber com que está lidando, ter cartas na manga, ter dois layouts para o cliente ter opção, isso é diferencial, estratégia para tudo, planos, metas, para que você tenha um norte para ir.

– Ariscar e não desistir

Frases como Eu não consigo e Pra mim chega não pode estar em nosso vocabulário, temos que arriscar sempre, nem sempre temos as repostas em nossa frente e nem sempre sabemos o que irá acontecer. Não há como prever! Todavia, quando temos sonhos, metas, objetivos desistir não é opção, lutar pelo que queremos é necessário para o nosso sucesso, sabe aquela sensação de Eu consegui é isso que precisamos procurar sempre, são sensações de prazer, de realização, nos arriscar e não desistir em meio as dificuldades nos faz mais fortes e profissionais mais preparados para o que pode aparecer fora do percurso, como crise, desemprego, mudanças de mercado e etc.

Bom pessoal, espero que tenham gostado dessa reflexão e que possa ter te ajudado!

Deixe seu comentário, se gostou ou não, se já assistiu e encontrou algum outro ponto compartilha conosco, vou adorar saber!

Ana

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ana Carolina Rodrigues’s story.