Moda, tecnologia e startups: por que o primeiro Startup Weekend Fashion & Tech de BH foi foda!

Raoni Henrique

Com o intuito de levar a indústria da moda para outro patamar aconteceu em maio pela primeira vez em Belo Horizonte a edição Fashion & Tech do Startup Weekend. Foram 3 meses de organização, 9 organizadores, 2 facilitadores, 20 mentores, 4 jurados, 100 participantes, 54h de trabalho, 35 ideias e 15 novos negócios criados.

Para quem não conhece, o Startup Weekend é um evento de um fim de semana em que equipes trabalham em torno de uma ideia, validando o modelo de negócios com ajuda de mentores que a partir da sua expertise guiam os empreendedores no processo de validação até as apresentações finais. O evento é mantido pela Techstars, uma das maiores aceleradoras do mundo, e é a porta de entrada no mundo empreendedor para muitas pessoas.

Venho trabalhando com startups e empreendedorismo desde 2014 quando fui agente de aceleração do Seed, acompanhando as mais de 80 startups que passaram pelo programa, mas meu primeiro contato com o Startup Weekend foi em 2015 quando fui participante da edição Fashion & Tech de São Paulo.

Startup Weekend Fashion & Tech SP, o primeiro da América Latina, em 2015

Foi uma experiência incrível e transformadora e também meu primeiro contato com o mundo da moda. Daí em diante, dentro do meu trabalho na Tropos Lab acabei me envolvendo em um projeto super bacana junto com a Abit para acelerar empresas de moda, e ao mesmo tempo fui ampliando meu envolvimento na cena empreendedora de Beagá e em dezembro liderei a organização do Startup Weekend em BH.

BH: Polo de empreendedorismo, inovação e criatividade

Nos últimos anos Belo Horizonte tem presenciado vários movimentos transformadores. No cenário cultural, novas instituições e atividades culturais e criativas surgiram, como por exemplo o complexo de museus da Praça da Liberdade e o Inhotim. Surgiram novos teatros e o despontamento de novos nomes na música, teatro e também movimentos coletivos de ocupação da cidade, como o carnaval da cidade.

QG da Sympla em Belo Horizonte. Em 2015 a Sympla foi eleita a startup do ano em premiação promovida pela Microsoft.

A cena empreendedora também passa por um momento de efervescência. Hoje BH abriga o centro de tecnologia do Google e também diversas startups, desde as mais conhecidas como Méliuz, Sympla, Rock Content até as que surgem a todo instante em eventos como Startup Weekend. Programas como o Lemonade, Ginga e principalmente o Seed (que reabre em junho de 2016 após mais de um ano e hiato), fazem hoje de BH um local receptivo a empresas que desejam inovar e formular negócios que fazem sentido no mundo atual.

BH se tornou nos últimos tempo uma cidade que respira cultura, aberta a diversidade e com grandes oportunidades para empreendedores de diversas áreas. Sem contar no seu poder criativo, celeiro de artistas e também de estilistas, como Ronaldo Fraga.

Onde tudo começou…

Hall principal do Centoequatro, bem no coração de Beagá.

As conversas para fazer um SW Fashion & Tech em BH surgiram com a equipe do Centoequatro logo após o Startup Weekend de dezembro, que aconteceu no espaço. O Centroequatro é um espaço multi cultural da cidade que conta com cinema, café, restaurante e coworking. Mas alguns bons anos atrás todo o espaço era uma fábrica de tecido, a primeira de BH, o que tornava a ideia de realizar o SW para a área de moda naquele espaço ainda mais simbólico. No coração da cidade, ao lado da estação central de trem e metrô levaríamos empreendedorismo e transformação para a moda, razão de existir do Centoequatro.

A moda e seus desafios

Mas por que moda?? Essa foi a pergunta que tivemos logo de cara quando propusemos o evento. Ao me envolver com esse setor percebi o tanto que a mudança de pensamento, de uma mentalidade empreendedora e do uso de ferramentas e tecnologia fariam bem para o setor, que assim como outros tantos setores do nosso país, atravessa uma grave crise.

Para então sensibilizar os profissionais de moda para o evento realizamos algumas palestras em faculdades e uma palestra no Minas Trend, uma das maiores feiras de moda no Brasil. E aqui tenho que agradecer ao incrível apoio do Sindivest, que abriu as portas para nós.

Organizadores do SW Fashion & Tech com a equipe do Sindivest

Na ocasião falamos para mais de 250 pessoas como a tecnologia e os novos modelos de negócio podem ajudar a moda a se transformar e a resolver desafios relacionados a produtividade, sustentabilidade e novos comportamentos do consumidor. Queríamos de fato trazer o público da moda para mudar o mindset e fazer a revolução que a indústria precisa. Contamos também com a ajuda da Cris Guerra e Natália Dornellas, que sempre fofas, apoiaram a nossa causa.

O Evento

100 pessoas toparam esse nosso desafio e foi incrível. Ao final das intensas horas do fim de semana, passando pela escolha da ideia, validação, pivotagem, conflitos, a energia na hora dos pitches, no domingo, foi incrível.

Hotta, gerente regional da Techstars no Brasil e nosso faciltador (de verde), com Daniel Larsan (meio) e Renan Serrano.

Foi sensacional também ver que os negócios buscaram a inclusão e sustentabilidade. Visando o combate ao desperdício, a campeã, de acordo com o júri, foi a “Tecidos de Sobra”. A equipe desenvolveu um marketplace para empresas de pequeno e médio porte conseguirem comprar os tecidos que sobram das grandes confecções com preços de atacado. A AUO, segundo lugar, focou em moda Afro e se propõe a ser um elo entre as pessoas que produzem e que consumem este tipo de moda. Os outros treze projetos focaram também em modelos inovadores como caixa surpresa de moda, app para looks, consultoria de estilo, e vários outros.

Nada disso seria possível sem nosso time de mentores. Que deram também um show a parte:

Mas, mais do que negócios, o prazer é ver a transformação dos participantes. É quando ao final do evento ouço de pessoas que o evento foi transformador e uma experiência única, que todo o trabalho (voluntário, diga-se de passagem) é recompensado.

Por fim, tenho que agradecer a equipe organizadora que reuniu para trazer esse Startup Weekend e não poderia ser mais fantástica. A equipe remanescente do Startup Weekend BH , Caio, Bruno, André, Bruna, se juntou a Raíssa, do Centoequatro e ao Igor, Paula e Thiago, da Vytre uma aceleradora de moda que acaba de nascer na cidade.

Dream Team do Startup Weekend. Eu, Bruna Castro, Raíssa Quadros, Igor Gontijo, Caio Pimenta, André Vasconcelos, Paula Ribeiro, Julia
Abrahão e Paula Lanna.

Espero que o SW tenha sido o pontapé para que profissionais da área, estilistas, blogueiros, e amantes da moda comecem sua jornada empreendedora ou então que leve esse espírito para suas vidas e para seus empregos. Por mais que empreender e startups, sejam palavras da moda, fazer o que ama e com propósito, de forma criativa e eficaz, serão coisas que nunca sairão de moda.

Sim, nós amamos todos vocês que participaram!

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade