Diário da insônia:

não dormir, estar cansada, Facebook e outras coisas

A frase filósofica é meramente ilustrativa, mas faz sentido para todos aqueles que ficam sem dormir. É como se o cansaço de um dia, acumulado nas frestas da mente que não descansa, impossibilitasse conciliar um sono tranquilo.

Durante meus piores momentos, ou deveria dizer minhas piores noites, me habituei a fazer postagens no Facebook. Algumas vezes reclamando, outras pedindo conselhos e dicas, mas, no geral, apenas usando a exposição pública para medir a quantidade de amigos e conhecidos que também estavam sem dormir ou dormindo mal. Os comentários se acumulam enquanto eu enumero mentalmente o que, de fato, dentre tudo aquilo eu estaria disposta a tentar. Dormir sem ligar a televisão, fazer a famigerada 'higiene do sono'? Acho que não. Deitar na penumbra levemente azulada pela tela ligada da tevê transmitindo uma das minhas reprises favoritas? Sem chance. Parte do que me dá sono é a monotonia da familiaridade, o conforto da repetição.

A próxima sugestão era um combinado de meditação e exercícios de respiração. Talvez valesse à pena. Uma vida morando com minha mãe somada ao tempo que passei casada me fizeram descobrir cada uma das peculiaridades do meu sono. Para além de roncar como um estivador do cais do porto, me mexo relativamente pouco e gosto de dormir de lado. Sempre virada para o lado direito, raramente de bruços, com um dos braços debaixo do travesseiro. Ronco mais quando bebo, e em geral o álcool tem perturbado meu sono. Acordo várias vezes durante a noite, desorientada, tenho sonhos estranhos e sobressaltos a noite toda.

Resolvi, assim, testar o app de respiração. Escovei os dentes, olhando minha figura desolada de cansaço no reflexo, passei creme nas olheiras, tudo enquanto esperava o download. Lembrei que, como a maioria das pessoas, acabava sempre dormindo melhor depois do sexo.

Coloquei o ipad num ângulo em que pudesse acompanhar as instruções do aplicativo deitada e encostei a cabeça no travesseiro, cruzando o limiar entre o sono e o desejo. Bocejo.

https://www.youtube.com/watch?v=L9Wnh0V4HMM

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.